Pirulito da Vila: música dos pés à cabeça

30/07/2014 (14:26)
Pirulito da Vila na roda de samba da 24ª Julifest (Sanderson Pereira)

Pirulito da Vila na roda de samba da 24ª Julifest (Sanderson Pereira)

Se existe um personagem Itabiritense que tem sua história marcada pela música, este é Gilmar Steferson de Jesus, ou Pirulito da Vila, como é conhecido. Figura marcada nas rodas de samba, nos festivais da cidade, Pirulito se tornou um personagem muito conhecido em Itabirito e também fora da cidade, já que seu nome e suas composições têm alçado vôos mais distantes.

O começo

A carreira de Pirulito começou quando ele tinha somente sete anos de idade (Arquivo Pessoal)

A carreira de Pirulito começou quando ele tinha somente sete anos de idade (Arquivo Pessoal)

Dos 37 anos de vida do músico, em pelo menos 30 deles a música se fez presente. Tudo começou aos sete anos de idade, quando Gilmar ingressou como ritmista na escola de samba Em Cima da Hora. Nessa época, ele também já frequentava as rodas de samba na casa de Dona Inês Soledade, do bairro Vila Alegre. Ainda criança, seu talento já era notado por amigos e familiares.

Aos 14 anos, Pirulito ingressou no Axé Igbá, grupo rítmico de fortes raízes na cultura negra e, em poucos meses, já era mestre de bateria. Aos 19, juntamente com seus amigos Tico e Beto Senegal, também integrantes do Axé Igbá, ele montou a banda Senegal que gravou suas primeiras músicas.

Pouco tempo depois, Pirulito e os outros integrantes da banda Senegal chegaram a se mudar para Uberlândia. “Fui ficar uns quatro meses em Uberlândia, tentar viver de música, mas não deu certo porque a realidade de lá era outra, não a que ouvíamos falar. Voltamos para cá e arrumei outro emprego, já que tinha largado o antigo e recomeçamos”, conta.

A marca de Pirulito da Vila são as composições, que normalmente falam de fatos cotidianos (Arquivo Pessoal)

A marca de Pirulito da Vila são as composições, que normalmente falam de fatos cotidianos (Arquivo Pessoal)

O sucesso profissional

Na maturidade o músico foi se destacando como um grande nome do samba mineiro. Aos 28 anos, Pirulito da Vila compôs a música “Bolero”, que se tornou a principal canção do primeiro CD do cantor itabiritense Serginho Barbosa. Contudo, o grande marco na carreira do músico aconteceu aos 31 anos, quando ele ingressou no grupo Cachaça com Arnica. Durante a trajetória no grupo, Pirulito teve quatro músicas suas gravadas que tiveram grande repercussão e que até hoje são tocadas em rádios mineiras como Inconfidência, Itatiaia e Colonial. “Escutar uma música sua tocando na rádio não tem preço”, acrescenta Pirulito.

Além de Serginho Barbosa, outros músicos gravaram músicas de Pirulito da Vila, como Thelmo Lins, que gravou um disco apenas com músicas de dele, com participação do cantor Vander Lee, Márcio Lima e Marquinhos Sathan, fatos que o cantor e compositor considera essenciais na vida de um músico. “Tenho conquistado o meu espaço, meu lance é composição. Faço shows e tudo mais, mas o principal é a composição. Tenho sido muito bem aceito pelo público de Itabirito e não só de fora, as pessoas passaram a valorizar mais os trabalhos da cidade”, destaca.

Um dos momentos mais emocionantes da carreira de Pirulito foi dividir o palco com Beth Carvalho na Julifest deste ano (Sanderson Pereira

Um dos momentos mais emocionantes da carreira de Pirulito foi dividir o palco com Beth Carvalho na Julifest deste ano (Sanderson Pereira)

Destaques da carreira

Hoje Pirulito da Vila faz parte de um seleto grupo de nove compositores mineiros de samba que integram o projeto Samba de Casa Faz Milagre. Em shows realizados em Belo Horizonte, o grupo executa duas horas de samba de artistas já consagrados e, depois desse tempo, a apresentação passa a ter só as composições dos integrantes do grupo.  “Só de estar no meio desses nove me sinto muito gratificado”.

Além disso, Pirulito participou no ano passado e também neste ano da Roda de Samba da Julifest em Itabirito. Quando pode dividir o palco com grandes nomes do samba brasileiro como o grupo Beco do Rato,  Almir Guineto, Toninho Geraes e, neste ano, com a rainha do samba Beth Carvalho. As rodas de samba marcaram profundamente sua carreira. “Na hora que a Beth Carvalho chegou senti uma energia positiva. Você olhava para o lado e tinha gente chorando, foi incrível”, destaca.

Recentemente, pirulito da Vila teve duas músicas executadas em vinhetas da Globo Minas. Uma delas tinha como pano de fundo a música “Sou Minas Gerais” e começou a ser executada do ano passado para cá. A outra foi executada antes dos jogos da seleção brasileira no Mineirão, durante a Copa do Mundo, com a música “É Gol”.

Novo CD

Ao que tudo indica, o músico ainda terá muitos bons frutos para colher. Já que começa a gravar em Setembro um novo CD. “Estou com um projeto aprovado na lei de incentivo para gravar meu CD. Serão 11 faixas. Cinco músicas minhas, quatro de compositores conhecidos e duas regravações. O Marquinhos Sathan que vai produzir”, conta.

Um trecho de música sua que te define: “Meu samba é preto, é morro, é samba de raiz. Não tem que sai para cantar samba e não volte feliz”.

Uma frase: “O samba é a primeira vez que o filho fala pai”

Um sentimento: Amor

Uma pessoa: Deus

Confira o clipe da música “Mercearia Paraopeba”, composição de Pirulito da Vila

banner_facebook_site2