Queimadas assustam moradores de Itabirito e já trazem danos à cidade

17/10/2014 (12:30)
foco incendio

Foco de incêndio no bairro Country nesta quinta-feira, 16 de outubro (Letícia Matos)

Nos últimos dias basta olhar para o horizonte para ver fumaça e às vezes fogo por todos os cantos. É a onda de queimadas que tem assolado Itabirito e trazido impactos negativos para a cidade. A população já sente os efeitos do fogo no ar. “Eu e meu irmão temos problemas respiratórios e por causa dessa fumaça estamos tendo muito dificuldade pra respirar à noite, porque fica muito abafado e ainda não está tendo chuva, o que piora as coisas”, contou a moradora do bairro Nossa Senhora de Fátima Letícia Matos.

De acordo com o sargento do Corpo de Bombeiros Municipal, Nívio Gonçalves, de 14 de setembro a 14 de outubro, 36 focos de incêndio em matas foram registrados na cidade, sendo a maioria deles criminosos.  “Acredito que 80% dos focos de fogo sejam criminosos e propositais. Outros têm origem naquelas pessoas que vão queimar algo no lote e às vezes esse fogo se propaga sem essa pessoa perceber”, destaca.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Prefeitura de Itabirito, Antônio Marcos Generoso, a maioria dos incêndios são causados por agropecuaristas sem terra. “Eles queimam os campos para conseguirem pastos novos, sempre em terras de terceiros para prejudicar alguém e até mesmo para ver queimar. Existem alguns casos isolados quem têm como causa acidentes ou oferendas”, pontua.

Atuação dos bombeiros

incendio

Foco de incêndio em Itabirito às marges da BR-356 registrado no dia 27 de setembro (Sou Notícia)

Em um dos grupos mais movimentados de Itabirito no Facebook “Itabirito MG”, muito se comentou nos últimos dias sobre a atuação dos bombeiros. Moradores alegavam que a corporação não combatia o fogo em algumas ocorrências. Segundo o sargento Nívio, os bombeiros não podem atuar no combate à todos focos de incêndio, já que possuem um efetivo pequeno, com poucos equipamentos e, frequentemente, acontecem vários focos ao mesmo tempo.

“O pessoal da Amda, que é a brigada da Vale e a brigada da VLD sempre nos apoiam quando é necessário, mas quando tem vários focos, como já aconteceu de ter cinco focos simultâneos, mesmo com a ajuda das brigadas não temos condições de combater todos. Não temos nem um caminhão de combate a incêndio”.

O sargento ainda acrescenta “Quando tem vários focos simultâneos damos prioridade àqueles, que trazem mais riscos, como, por exemplo, os que estão mais próximos das residências”.

Outro ponto destacado pelo sargento é que alguns moradores questionam a não atuação dos bombeiros em incêndios florestais no período noturno por desconhecimento do protocolo da corporação. Bombeiros de todas as localidades do país só atuam em incêndios florestais noturnos quando eles trazem riscos à vida de terceiros, já que nestes casos, os bombeiros arriscam suas próprias vidas.

Impactos

Além de prejudicar a qualidade do ar, as queimadas trazer diversos outros impactos negativos como a destruição da fauna e flora e a diminuição da água disponível no solo, que talvez seja a mais grave consequência no atual contexto vivido pelas cidades mineiras.

O sargento dos bombeiros municipais ainda faz um apelo à população. “Esperamos que a população de conscientize. Temos que preservar as matas e rios. Outra orientação que eu deixo é que os moradores soltem os fogos de artifício em local mais apropriado, longe das matas, nascentes, campos e pastos, já que no último final de semana tivemos incêndios que, provavelmente, foram causados pelos foguetes”.

banner_facebook_site2