Comerciantes de Itabirito estão otimistas quanto ao reaquecimento do setor

05/04/2017 (22:20)

Em Itabirito já é possível notar um fôlego a mais para os tempos que virão (Sou Notícia)

Com o contexto de crise e a economia em ritmo morno desde o início de 2014, comerciantes do país têm feito ‘malabarismos’ para se adequarem ao novo contexto. Em Itabirito, também podemos perceber algumas mudanças trazidas pela crise, mas já é possível notar um fôlego a mais para os tempos que virão.

Os impactos da crise estão sendo sofridos até hoje como: alta da inflação, alta taxa de desemprego e preços elevados. Um fator agravante para Itabirito foi a desvalorização do minério de ferro, o que piorou ainda mais a situação da economia local e fez com que grandes empresas encerrassem suas atividades. Por consequência, muitas lojas também fecharam suas portas.

Especialistas apontam caminhos

De acordo com o gerente de projetos e coordenador técnico da Agência de Desenvolvimento Econômico e Social de Itabirito (Adesita), Dênis Donato, a retomada do comércio tente a ser lenta, porém contínua. “Temos uma retomada na economia, mas ainda não estamos com o comércio aquecido. Tivemos uma média de 30% a 40% de queda nas vendas e, agora, temos uma retomada que não acontece de forma imediata, porém progressiva. Há uma expectativa de um segundo semestre bem melhor”, declara.

O otimismo de Dênis é compartilhado por Edna Silva, gerente executiva da Câmara dos Dirigentes Logistas de Itabirito (CDL).  “Sugiro apontarmos o futuro. Todas as medidas que estão sendo realizadas agora, tais como redução da taxa de juros, estabilização da inflação e o saque das conta inativas do FGTS terão seus efeitos no segundo semestre e também por agora”, pontua.

A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de Minas Gerais (FCDL-MG) realizou uma pesquisa para nortear o empresariado. A pesquisa mostrou que 22% dos entrevistados em Minas Gerais estão propensos ao consumo. Já 78% querem poupar o seu dinheiro. “Isso mostra certo conservadorismo por parte dos mineiros em relação ao seu dinheiro”, complementa Edna.

A pesquisa mostrou, também, que as datas comemorativas têm grande peso na propensão ao consumo. “Assim, como neste mês temos a comemoração da Páscoa e o dia das Mães, em maio, setores como supermercados e hipermercados, vestuário, farmácia/cosméticos e calçados tendem a ter resultados expressivos”, comenta Edna.

A gerente da CDL ainda destacou a importância dos itabiritenses consumirem localmente. “Ao comprar no comércio local, os Itabiritenses estão contribuindo para o desenvolvimento do município, com a manutenção dos postos de trabalho, para o aumento do recolhimento de impostos municipais, gerando mais investimentos em diversas áreas como saúde, educação e infraestrutura”, conclui.

Paulo Henrique, gerente adm. Comercial Cascudo (esq.) e Tiago Neto, gerente geral (dir.) Foto: Sou Notícia

Análise dos comerciantes

Comerciantes da cidade comentam as oscilações da economia e, por consequência, do próprio setor, desde o início da crise. De acordo com Renato Ramez, proprietário da loja Schumacher Sports, essa foi a pior crise enfrentada na cidade. “Essa crise, em 24 anos de loja, foi a mais pesada. Nunca vi uma crise dessa proporção. Reduzimos o quadro de funcionários em 20%, agora, posteriormente, depois de ampliar a loja, pudemos contratar mais um Funcionário”.

Paulo Henrique, gerente administrativo do Comercial Cascudo, comenta que a liberação das contas inativas do FGTS e de crédito do “Minha Casa Minha Vida”, além das reformas do governo, criam a expectativa de melhores vendas no comércio.  Paulo ainda complementa. “Esse primeiro trimestre se manteve estável em relação ao último trimestre do ano passado, com uma elevação pequena, mas o interessante foi que sentimos que o mercado começou a reaquecer”.

Com o reaquecimento da economia e surgimento de vagas de emprego, além da diminuição da taxa de juros, uma tímida retomada no consumo do itabiritense tem sido notada. Letícia Vareto, gerente da loja Anjo Azul, acredita que as datas comerciais e festas comemorativas ajudam a alavancar as vendas, mesmo em um período morno. “Esperamos que Itabirito tenha festas típicas, pois as festas ajudam na venda de roupas”, conclui.