Artistas locais se destacam no festival Som Plural

02/05/2017 (15:33)

A banda Cachaça com Arnica conquistou o primeiro lugar e levou seis mil reais para casa (Fábio Benigno)

24 músicas inéditas foram apresentadas no festival Som Plural, que aconteceu no último fim de semana em Itabirito. Entre os grupos participantes, Itabiritenses se sobressaíram e foram premiados no festival.

A banda Cachaça com Arnica participou com a música ‘Pensava que não ia mais sofrer’ e levou a melhor na competição. O grupo conquistou o primeiro lugar e levou a premiação máxima de seis mil reais. Felipe de Oliveira e Dé conquistaram a segunda colocação e o terceiro lugar ficou com a banda Dolores. Na categoria melhor intérprete o prêmio também ficou na cidade. Karem Lage foi premiada com a música Drama.

Karem Lage foi premiada com a música Drama.

Márcio Lima, líder do Cachaça com Arnica, acredita que a premiação foi para toda a cidade. “Não estávamos competindo, mas alguém teria que sair como vencedor. Foi importante alguém da cidade ganhar o festival onde competiam pessoas de outros lugares. A nossa vitória foi importante não só para a banda, mas para Itabirito, que conseguiu impressionar jurados tão criteriosos e renomados”.

Márcio complementa ressaltando a vontade de que aconteçam outros festivais na cidade. “Acredito que o Som Plural veio para ficar, mas acho importante haver outros festivais na cidade, com a participação só de bandas locais”, complementa.

Avaliação

Jurados experientes compuseram o júri, entre eles o produtor musical Carlos Eduardo Miranda ( Fabio Benigno)

A Holofote Cultural, empresa de produção cultural de Itabirito, junto ao Portal dos Antenados foram os idealizadores do Festival Som Plural, organizado pelo grupo Un Music. Para os organizadores o festival superou as expectativas. “Quando o projeto foi idealizado, em 2013, a ideia era um festival regional, porém ele se tornou nacional, chegando a 500 músicas inscritas, o que nos surpreendeu. O que também nos alegra é o fato do primeiro lugar ter ficado em Itabirito”, afirma Gilson Fernandes, fundador da Holofote Cultural.

Resposta do público

Quem foi prestigiar o festival pode assistir a shows de novas bandas e de artistas renomados que encerraram os dois dias de apresentações. Na primeira noite do festival, o encerramento foi com a banda Falcatrua. Já no domingo, Erasmo Carlos encerrou com chave de ouro o último dia de festival.  Segundo organizadores, o festival chegou a reunir três mil pessoas no domingo (30).

Para Ariane Mendanha moradora de Itabirito, festivais como este têm o poder para resgatar as bandas antigas. “Já fui a vários festivais, mas não com essa pluralidade musical. O evento está bem organizado e as músicas são boas. É importante para atrair turismo para a cidade, resgatar as bandas antigas e mostrar as bandas novas”.

Já Eliezer Sanches concorda com a importância do evento na cidade, mas critica o grande intervalo entre as apresentações. “Já frequentei vários festivais de música em Ouro Preto e este é o primeiro aqui em Itabirito. Eles são importantes para desenvolver os turismo e mostrar a arte produzida na cidade. Acredito que poderia ser mais animado, as apresentações estão ficando dispersas entre si”.

Segundo organizadores, o festival chegou a reunir três mil pessoas no domingo (Fabio Benigno)

O vocalista e compositor da banda Slana, Dáblio Slana, ressalta a importância de festivais como este para promover a aproximação das bandas com o público. “Os festivais são importantes para difundir o nosso trabalho, além de proporcionar uma aproximação entre as bandas e o público, especialmente nos dias atuais em que as pessoas consomem música pela internet e quase não têm contato com as bandas”.

O cantor Erasmo Carlos, em seu show, chegou a declarar que é uma grande satisfação poder tocar em um festival de música, já que eles podem revelar grandes nomes, como aconteceu em sua geração. Antes do show, o Sou Notícia tentou entrevistar o cantor, mas sua produção disse que ele não concederia entrevistas. A reportagem também foi impedida de entrar no backstage do evento e entrevistar os jurados.