Em Itabirito, coleta seletiva volta com “força total”

21/11/2013 (9:56)
2---Professores-e-Agentes-de-saude-participaram-da-capacitacao.

Palestra ministrada para professores e agentes de saúde. (Divulgação/PMI)

A Prefeitura de Itabirito está empenhada em garantir a cobertura de 100% do município com o serviço de Coleta Seletiva. No dia 12 de novembro, em parceria com a Fundação Israel Pinheiro (FIP), foi ministrada na Casa de Cultura Maestro Dungas uma palestra para professores e agentes de saúde com o objetivo de capacitá-los para que eles se tornem multiplicadores das práticas necessárias para a consolidação do projeto.

No encontro foram apresentados os princípios, diretrizes e estratégias definidas no Plano Estadual de Coleta Seletiva (PECS). Atualmente, a FIP é parceria do governo do estado no processo de gestão de resíduos sólidos. “A parceria tem o objetivo de representar uma revitalização da Coleta Seletiva do município. Entendemos que é fundamental que as pessoas estejam bem orientadas em relação à metodologia”, conta Edvaldo Sabino, analista ambiental da FIP.

Atualmente, mais de 60% das residências do município contam com o sistema de coleta porta a porta, realizada pelos catadores da Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Itabirito (Ascito) que, em média, recolhem mais de 30 toneladas por mês.  “Itabirito está no caminho certo. Uma vez que possui um sistema de tratamento e disposição final adequada de resíduos sólidos urbanos devidamente regularizado junto ao órgão ambiental, preenchendo os pré-requisitos para receber o apoio do governo estadual”, conta Edvaldo.

O analista ambiental da FIP, Antônio de Souza, avalia a mobilização social como um dos principais fatores para atingir o objetivo. “A Coleta Seletiva é um comportamento que esbarra diretamente na formação de cada pessoa, por isso é essencial envolver as instituições de ensino. Outro ponto importante é integrar os agentes de saúde, que passam por toda a cidade, de casa em casa, e que podem aproveitar esse contato para explicar para as pessoas sobre os benefícios que toda a população tem com a coleta seletiva”. Os ganhos com o trabalho refletem diretamente na qualidade de vida da população, que além de contribuir na preservação do meio ambiente, também gera mais renda e emprego através da inserção social dos catadores de materiais recicláveis.

Para Antônio, é preciso que as crianças e adolescentes também sejam bem orientados.  “Eles representam o futuro bem próximo. Entendendo a maneira correta de fazer o descarte de resíduos, eles podem ser peças fundamentais no processo”.

O prefeito de Itabirito, Alex Salvador, destaca que depois de tanto tempo, Itabirito voltou a tratar o meio ambiente como prioridade em seu processo de desenvolvimento. “Retomamos a coleta seletiva com ‘força total’ e estamos contando com o apoio de toda a população. É fundamental a colaboração de cada itabiritense para que esse projeto seja um sucesso”.

Coleta Seletiva nas escolas

Durante o mês de novembro, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável concluiu a implantação da coletiva seletiva em oito escolas municipais. Professores e cantineiras receberam orientações e suporte durante o processo. “Acreditamos num trabalho que funciona como uma grande rede que começa na escola. Cada professor se torna multiplicador da metodologia e cada aluno leva a informação para sua casa”, destaca a educadora Ambiental da Prefeitura, Fabíola Nonato.

Fique por dentro de tudo que acontece em Itabirito e região. Curta nossa fanpage, clicando AQUI!