Opinião

Eles querem o caos!

Vamos analisar: por que os governantes do Brasil não querem ceder às justas reivindicações dos caminhoneiros e, agora, de todo o povo brasileiro?

“É pela justiça que um governante firma seu país, mas aquele que o sobrecarrega com muitos impostos, o arruína”. (Provérbios 29, 4).

Então, por que os governantes do Brasil não querem ceder às justas reivindicações dos caminhoneiros e, agora, de todo o povo brasileiro, pela redução da carga de impostos e controle de gastos dos órgãos e instituições públicas? Vamos analisar:

Passados oito dias da paralisação dos caminhoneiro e mediante a constatação da postura reativa e intransigente dos governantes (governadores dos estados inclusos), muitas pessoas estão desenvolvendo um raciocínio plausível sobre o que pode ser a motivação do presidente e seus asseclas para não atender integralmente as reivindicações do povo – nesse contexto representado pelos caminhoneiros.

Na verdade, os donos do poder estão aproveitando uma oportunidade para instalar o caos no Brasil e, consequentemente, provocar uma intervenção militar, a fim de EVITAR AS ELEIÇÕES DE 2018.

Na prática, se o movimento dos caminhoneiros persistir por mais tempo, o Brasil vai quebrar, os donos do poder vão colocar a culpa nos caminhoneiros e vão vencer. Portanto, está na hora do movimento acabar, sob pena de darmos a vitória de graça ao inimigo.

Por que? Simples: os donos do poder estão desesperados com o altíssimo risco de PERDEREM AS ELEIÇÕES daqui quatro meses. Para eles, será muito melhor conseguir a narrativa de que foram derrotados por tanques de guerra, ao invés de admitirem a derrota nas urnas para um Romeu Zema, para um Jair Bolsonaro, para um Rodrigo Paiva, bem como os mais de setenta militares que serão candidatos nas próximas eleições; ou seja, o pavor das velhas raposas é de perderem no voto, porque aí a narrativa do golpe militar se esvairá.

Ao que tudo indica, a motivação de fato é essa, logo, como resposta, o povo brasileiro, juntamente com os caminhoneiros, NÃO podemos e não vamos promover o caos; pelo contrário, devemos continuar levantando a nossa voz de forma ordeira, respeitando as leis e com bastante paciência, pois o “estamento burocrático” sentiu o golpe e está em xeque; ou seja, falta muito pouco para o povo dar o xeque mate nos donos do poder. Só vamos perder o jogo, se o movimento dos caminhoneiros partir para a radicalização.

Desde 2015, o professor Olavo de Carvalho constatou que a Revolução Brasileira que estamos vivenciando é bem diferente do que teorizam os marxistas/comunistas, que estão conseguindo pegar carona no movimento dos caminhoneiros e colar um “Fora Temer” nos Brutos da Estrada. Os comunistas de plantão não perceberam que a nossa luta de classes no Brasil não é entre “proletários” e “burgueses”, mas é do povo contra os donos do poder.

Falando a língua manjada dos esquerdistas, no nosso caso, os donos do poder não se caracterizam por serem “os donos dos meios de produção”, mas são os donos dos meios de legislação, dos meios de opressão, dos meios de extorsão etc. Ou seja, quem faz parte deste “mecanismo” tem muito mais poder que as ditas “elites empresariais” ou o “patrão”, que no Brasil são em maioria microempreendedores – caminhoneiros entre eles, que precisam perceber que a persistência da paralisação, a radicalização e o Fora Temer só faz o jogo da velha política.

Outra questão importante para o qual precisamos estar sempre atentos é o grande interesse que os meios de comunicação tradicionais têm em demonizar, difamar e maldizer os caminhoneiros, colocando neles a culpa por todas as mazelas da saúde pública, educação, aumento de impostos e até pela falta de alimentos na mesa de muitos brasileiros. A grande mídia, por questões de interesse próprio, sempre irá defender o governo e atacará quem quer que seja que ameace o status quo, pois precisam garantir que os muitos milhões de reais das contas governamentais de publicidade continuem enchendo os cofres das grandes corporações de comunicação. Exemplo: somente a Rede Globo, de janeiro de 2018 até maio de 2018, já recebeu mais de 12 milhões de reais em publicidade, paga pelo gabinete do Governo Federal, isso sem contar com as propagandas dos bancos públicos, Correios, Petrobras etc. É muito dinheiro!

É hora de sermos mais inteligentes que os “donos do poder”, pois falta muito pouco para ganharmos o jogo. Para tanto, acredito que devemos seguir o que está pedindo o Coronel Ênio Fontenelle. Vejam o que ele nos aconselha:

Os petroleiros acabaram de avisar que farão uma “greve de advertência” de três dias.

Quem avisou? O José? A Maria? Você?

Não, foi o pessoal dos Sindicatos, os “donos” das greves, aqueles mesmos que colocam piquetes na porta da fábrica para impedir quem quer trabalhar, agridem os que tentam entrar, aqueles que depredam carros e furam pneus.

Agora, eu pergunto: Quem quer o caos? E por que quer o caos?

Eu sei que há muita gente aderindo a tudo isso com alegria, portando bandeiras e faixas com “Intervenção Já”.

Conheço-os e reconheço as boas intenções, porque os militares seriam – SIM – muito melhores para o Brasil do que a corja que nos governa.

Mas, outra vez, eu estou aqui para alertar:

1) Estamos a um passo de derrubar a Esquerda PELO VOTO, ganhando respeito e reconhecimento aqui dentro e lá fora.

2) O caos só interessa à Esquerda, que não quer as eleições, porque sabe que já perdeu.

3) O Exército NÃO FARÁ A INTERVENÇÃO como as pessoas acham, inocentemente, que fará. Pelo contrário, ele levará na ponta da faca a sua missão constitucional de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), e entrará em cena para não deixar o caos se generalizar, e – o que é pior – usando a força para lográ-lo, talvez ferindo inocentes, o que o deixará fragilizado perante a opinião pública, aquela mesma que hoje está pronta para guindar a Direita ao poder.

Desabastecimento é um DESASTRE, talvez vocês não tenham ideia das consequências, embora as primeiras já os esteja incomodando.

Eu disse as primeiras, as primeiras.

Vocês ainda não viram os saques, as invasões de propriedades, as lutas nas ruas por um saco de arroz, a depredação de um carro que ainda tenha combustível, as pessoas doentes morrendo nos hospitais ou em suas portas.

Vocês, aqui na Internet, estão sentados em uma cadeira confortável à frente do computador, mas o Brasil é pobre, as pessoas mal e mal tem o que comer. Imagine o desespero daquelas pessoas, e não permitam que virem feras feridas.

Parem com isso imediatamente. Busquem a solução negociada para terminar essa greve, sem colocar lenha na fogueira.

O bom militar jamais quer a guerra, porque mesmo sem a ter experimentado, foi treinado para fazê-la e sabe como é. Confiem em nosso Exército. Ele sabe o que faz.

Eduardo Barbosa é filho de Antonio Barbosa (Tony Foto) e Naura Barbosa. Nascido e criado na “Carioca” em Itabirito e apaixonado pela Cidade Encanto. Engenheiro de Produção e Segurança do Trabalho. Ferrenho defensor da cultura ocidental judaico-cristã.

 

 

Tags

Jornalismo - Sou Notícia

Entre em contato com a equipe de jornalismo do portal Sou Notícia: jornalismo@sounoticia.com.br

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *