Geral

Guarda Municipal responde acusações feitas por jornal de Itabirito

Em nota, a corporação repudia especulações feitas pelo veículo de informação da cidade.

A Guarda Civil Municipal de Itabirito vem a público responder a uma reclamação feita no jornal O Grito, edição nº 765, do dia 13 de abril de 2018. No texto, a coluna social do referido jornal atribui “nota zero” sobre o questionamento: por que a Guarda Municipal não trabalha 24 horas se o dinheiro pago aos civis é proveniente dos impostos pagos pela população?

Em contado com o Sou Notícia, por acreditar na seriedade da equipe, a Guarda Municipal repudia as alegações feitas pelo jornal. Confira abaixo a íntegra da resposta do Comando Especializado da Guarda Civil Municipal:

“Em resposta a matéria divulgada pelo Jornal “O Grito”, intitulado Nota Zero, tendo como assunto a GCMI – Guarda Civil Municipal de Itabirito, informamos que somos realmente pagos com impostos dos cidadãos itabiritenses, e em contra partida os serviços dos servidores (Guardas Municipais) são prestados 24 horas por dia. Temos GCM´s em viaturas de plantão 24 horas, que fazem patrulhamentos nas áreas de patrimônio e bens públicos, atendem as solicitações dos órgãos, autoridades municipais e cidadãos. Há também GCM´s em postos fixos como a UPA 24h para proteção do patrimônio, da vida e manutenção da ordem pública. Cobrimos todos os tipos de eventos no município para proteção do patrimônio e manutenção da ordem pública.

Informamos ainda que de acordo com a concessão municipal relacionada ao Estacionamento Rotativo, há previsão de gestão do equipamento parquímetro, cabendo a fiscalização ao município, que neste caso é feita por agentes públicos da Guarda Civil Municipal, capacitados e credenciados conforme convênio com o DENATRAN, e não poderia ser feito por outro servidor público municipal por legalidade jurídica. Dessa forma, seria necessário que o editor do Jornal O Grito antes de divulgar matérias que ofenda uma corporação que vem prestando um bom trabalho ao município, ouvisse nossas explicações quanto ao questionamento apresentado, pois temos estatísticas claras e precisas em banco de dados, disponíveis para qualquer cidadão que solicite com uma justificativa direcionada.

A matéria divulgada demonstra-se muito tendenciosa, pois como dito, a GCMI não foi ouvida, ou seja, aparenta-se como matéria vendida ou fofoca, sendo pratica de uma impressa não seria e injusta com as partes envolvidas.

Assim, seria necessário também que o jornal efetuasse uma pesquisa para verificar a situação em que o município de Itabirito se encontra referente à segurança pública, onde o Secretário Carlos Henrique titular da pasta de Segurança Pública vem implantando e executando projetos e ações direcionadas a integração com todos os órgãos de segurança pública (Guarda Civil Municipal, Policia Militar, Policia Civil e Corpo de Bombeiros Municipal), além de planejamentos voltados a prevenção, paz pública e proximidade com o cidadão. Entre os municípios da região, Itabirito é claramente conceituado com o menor índice de criminalidade, atos infracionais, infrações de trânsito, vandalismos e depredação do patrimônio, isso se deve a atuação do serviço de prevenção dos órgãos de segurança pública.

Quanto às notificações em áreas escolares, estas ocorrem por solicitação da população que enfrenta a desordem no trânsito nestas áreas, onde a Guarda Civil Municipal primeiramente atua com ações educativas por um período determinado, em seguida é feita a fiscalização do trânsito, que é realizada de acordo com o CTB – Código de Trânsito Brasileiro, e em prol da coletividade para manutenção da mobilidade urbana.

Informamos ainda que a reportagem do Jornal O Grito jamais procurou a GCMI para se informar como a mesma atua e quais suas limitações de atendimento.”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×