Geral

Caminhoneiros continuam paralisação em Itabirito após anúncio de acordo com Governo Federal

Problemas de desabastecimento de combustíveis e de alimentos seguem.

Caminhoneiros que bloqueiam a rodovia BR-356, em Itabirito, permanecem no local, mesmo após o acordo entre o Governo Federal e as entidades da categoria para suspender a paralisação por 15 dias, anunciado nesta quinta-feira (24). De acordo com a categoria, os órgãos que reuniram com o governo não os representa.

As manifestações continuam, pelo quinto dia consecutivo, em 24 estados e no Distrito Federal. Nesta sexta-feira (25), os grevistas dão continuidade à mobilização contra a disparada do preço do diesel, em função do aumento do valor nas refinarias, de 0,97%, que faz parte da política de preços da Petrobras em vigor desde julho de 2017.

A reunião de ontem com representantes de entidades de caminhoneiros, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria de Governo), Eduardo Guardia (Fazenda) e Valter Casimiro (Transportes), durou mais de seis horas. Foi anunciada durante a noite, uma proposta do governo de acordo para a suspensão da paralisação da categoria, por 15 dias, quando outra reunião será realizada.

Dentre as propostas, o governo se comprometeu em reduzir a zero a alíquota da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), em 2018, sobre o óleo diesel; assegurar a periodicidade mínima de 30 dias para eventuais reajustes do preço do óleo diesel na refinaria; promover gestão junto aos estados da federação para implementação da isenção da tarifa de pedágio sobre o eixo suspenso em caminhões vazios; reeditar, no dia 1º de junho de 2018, a Tabela de Referência do frete do serviço do transporte remunerado de cargas por conta de terceiro e mantê-la atualizada trimestralmente; e manter a redução de 10% no valor do óleo diesel a preços na refinaria, já praticados pela Petrobras, nos próximos 30 dias, com compensações financeiras da União à Petrobras. Os caminhoneiros, entretanto, não aceitaram a proposta e seguem com a greve.

A greve dos caminhoneiros fez com que os postos de Itabirito ficassem sem combustível disponível para venda. No antigo Posto Esso, último local com estoque na cidade, os combustíveis acabaram no fim da tarde desta quinta-feira. Outra consequência da paralisação é no fornecimento do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o gás usado na cozinha. O Sindicato das Empresas Transportadoras e Revendedoras de GLP (Sindvargas), já havia alertado que as 570 revendedoras do gás ficariam sem abastecimento, afetando os consumidores desde ontem.

Devido à ausência de óleo diesel na cidade, o transporte coletivo municipal também está afetado. As linhas de ônibus estão em funcionamento normal até as 9h e das 16h às 19h30. Durante o intervalo de tempo, das 9h às 16h e a partir das 19h30, o funcionamento do serviço está sendo seguindo os horários dos domingos e feriados, numa escala reduzida. A previsão é de que o atendimento volte ao normal assim que situação da falta de combustível for solucionada.

Um comentário

  1. Em qualquer setor é permitido fazer greve desde que se garanta o mínimo funcionamento para atendimento da população. Então se os caminhoneiros estão impedindo o transporte de combustíveis porque é que o Governo não monta comboios escoltados por tanques de guerra que garantam que eles cheguem nas cidades para abastecer ambulâncias, viaturas policiais, bombeiros, etc. , ou seja, veículos que garantem a vida e segurança de todos? Então greve de ônibus não pode parar todos os ônibus mas barrar produtos essenciais não é proibido!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×