Itabirito

Itabirito trabalha para combater impactos da crise do abastecimento

EXCLUSIVO: secretário de Segurança de Itabirito conta como o município está se organizando para enfrentar as consequências da paralisação.

O secretário de Segurança e Trânsito, Carlos Henrique Franca Rodrigues, conhecido como Luke, cedeu uma entrevista exclusiva para o Sou Notícia sobre as consequências da paralisação dos caminhoneiros no município. “Primeiramente, eu entendo que seja um movimento pacífico, um movimento muito correto por parte dos caminhoneiros que estão lutando pela baixa do diesel, que é o que mais consome o faturamento deles”, iniciou o secretário.

Para Luke, os reflexos do desabastecimento da cidade precisam ser tratados com estratégia e prioridade. “Aqui em Itabirito, nós estamos preocupados principalmente na minha área, que é a segurança, e o maior gargalo que nós estamos tendo é com o combustível”, destaca. “Além disso, a preocupação da prefeitura é continuar o abastecimento de combustível para as ambulâncias, porque saúde e segurança estão em primeiro lugar”, completa o secretário.

Para atender à essa demanda prioritária, Luke revela que está obtendo combustível por meio de escolta: “Nós estamos conseguindo, ao menos, uma parte do diesel para o transporte coletivo poder circular por mais alguns dias“. Dessa forma, o secretário destaca que o combustível que está chegando na cidade é destinado à segurança e saúde, e não será disponibilizado para o consumidor comum.

Apesar de atento à crise do abastecimento, Luke é otimista quanto aos próximos passos do movimento de paralisação. “Eu vejo que esse desabastecimento, no meu entendimento, não deve durar muito mais, porque nós já estamos começando a ceder um pouco. Entretanto, nós vamos fazer o possível para manter o abastecimento através de parcerias com a Polícia Militar e a Polícia Rodoviária para conseguir algum abastecimento aqui para Itabirito”, opina. “Graças a Deus, Itabirito ainda está tranquilo nesse ponto, mas nós não podemos demorar muito mais não”, ressalta.

Riscos para a segurança em Itabirito

Questionado sobre a possibilidade da falta de abastecimento gerar violência em Itabirito, o secretário de Segurança e Trânsito afirma estar atento às possibilidades. “Eu entendo que há um risco eminente, nós estamos chegando a um ponto que, quando começar a faltar comida dentro da casa da população, esse risco existe”, revela Luke.

A partir desse cenário, o secretário conta que mantém contato constante com as forças de segurança de Itabirito e região. “A Polícia Militar está ficando de prontidão o tempo inteiro. Nós, com a Guarda Municipal, que é a segurança do município, também estamos de prontidão o tempo inteiro”, aponta.

Contudo, desde o início das manifestações, que começaram dia 21 de maio, Itabirito vem registrando índices de violência abaixo da média. “Está tudo tranquilo, está até abaixo do esperado. Não tivemos notificação de furto, de tráfico de drogas, não tivemos problema nenhum. Está bem abaixo do que acontece no dia a dia”, diz Luke. “Nós estamos com os carros abastecidos e de prontidão, mas não está tendo nenhum problema mais sério até agora”, completa.

Abastecimento em Itabirito

Mesmo prevendo que a paralisação pode estar em seus últimos dias, Luke aponta que a crise no abastecimento ainda deve demorar algum tempo para se normalizar: “Esse reflexo, infelizmente, está acontecendo na educação e em mais vários setores da prefeitura e da sociedade e, com certeza, mesmo se a manifestação acabasse hoje, nós ainda iriamos sentir o reflexo por mais, pelo menos, 5 dias, por causa do desabastecimento que está acontecendo”.

Contudo, o secretário afirma que a população não precisa se alarmar com a situação. “Nós não podemos criar um pânico em cima disso, pois temos que trabalhar para as ações serem eficientes e as consequências minimizadas”, encerra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×