Geral

Atlas da Violência 2018: 50% das vítimas de estupro tinham até 13 anos

As adolescentes de 14 a 17 são 17% das vítimas.

De acordo com a Agência Brasil, 50,9% dos 22.918 casos de estupro registrados pelo sistema de saúde em 2016 foram cometidos contra crianças de até 13 anos. Jovens de 14 a 17 são 17% das vítimas e 32,1% eram maiores de idade. O dados são do Atlas da Violência 2018, apresentados ontem (5) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

Um aspecto a ser observado é a discrepância entre os dados da saúde e os dados das polícias brasileiras, que registraram 49.497 casos de estupro no ano, uma diferença de 26.579 casos, conforme 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Outras pesquisas apontam que mais de 1 milhão de pessoas podem ser vítimas de violência sexual por ano no Brasil. De 2011 para 2016, houve crescimento de 90,2% nas notificações de estupro no país. Os pesquisadores atribuem os dados ao aumento da prevalência de estupros; aumento na taxa de notificação levada por campanhas feministas e governamentais ou a expansão e aprimoramento dos centros de referência que registram as notificações.

O número de centros de saúde que tiveram pelo menos uma notificação aumentou 124,2% no período e o número de municípios que passaram a ter notificações subiu 73,5%, o que corrobora com a terceira hipótese.

O Atlas aponta ainda para a vulnerabilidade das pessoas com deficiências física e/ou psicológica. Cerca de 10,3% das vítimas de estupro tinham alguma deficiência. Desse total,31,1% tinham deficiência mental e 29,6% transtorno mental. As pessoas com algum tipo de deficiência também representam 12,2% do total de casos de estupros coletivos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×