Geral

Operação ‘O Regresso’ assusta moradores em Itabirito

Entre os alvos da Operação O Regresso está um foragido do sistema prisional que tem parentes na cidade.

Devido à Operação Pedra Vermelha, muito se falou nas redes sociais e nas ruas de Itabirito que um secretário da Prefeitura estaria sendo procurado por policiais civis na tarde desta terça-feira (3), uma vez que viaturas da Polícia Civil foram vistas no centro da cidade. Entretanto, em contato com a Polícia Militar e com a Prefeitura de Itabirito, o Sou Notícia recebeu a informação de que a operação realizada hoje não tem ligação com a Operação Pedra Vermelha.

A realidade é que uma megaoperação entre as Polícias Militar e Civil e o Ministério Público, chamada Operação O Regresso, foi realizada hoje, em todas as regiões de Minas, para cumprir diversos mandados de prisão que tiveram como alvos indivíduos que praticaram crimes violentos e que se encontram foragidos.

De acordo com a Polícia Militar, em contato com o Sou Notícia, o objetivo da operação, em Itabirito, era cumprir mandado de prisão de um foragido do sistema prisional que possui familiares na cidade. Entretanto, o indivíduo não foi localizado.

A operação vem sendo realizada de forma integrada pelas instituições há cerca de três meses e já prendeu 170 pessoas no Estado. Centenas de policiais militares e civis, dezenas de viaturas e aeronaves das duas instituições foram utilizadas na operação.

“Em Minas é costume que as forças de segurança trabalhem de forma articulada. Há alguns meses, nos reunimos para a identificação dos alvos para esta operação. Foram selecionadas pessoas que tinham mandados de prisão expedidos pela Justiça e outros que representavam grande impacto na segurança pública, sobretudo por crimes violentos como homicídios, roubos, explosões a caixas eletrônicos, latrocínios e trafico de drogas”, destacou o Promotor de Justiça e Coordenador Criminal do MP, Henrique Nogueira Macedo.

De acordo com o Superintendente de Investigação e Polícia Judiciária da PCMG, Delegado-Geral Carlos Capristrano, os 170 alvos que foram presos na ação foram selecionados pelo serviço de inteligência da Polícia Civil, Ministério Público e da Polícia Militar. “Todas as prisões são importantes por serem alvos que realmente atingiam a criminalidade em Minas Gerais. A partir dessas prisões, iremos realizar uma investigação criminal minuciosa, através do cruzamento de informações dos serviços de inteligência, para verificarmos a ligação dos alvos com as organizações criminosas”, destacou.

Para o Porta-voz da PMMG, Major Flávio Santiago, a retirada desses criminosos de circulação refletirá no aumento expressivo da redução criminal em Minas. “São indivíduos que articulam o crime e, de alguma forma, empoderam outras pessoas a cometerem delitos. Além disso, é uma propaganda para que outros infratores entendam que em Minas Gerais não há espaço para o cometimento do crime”, finalizou.

A operação “O Regresso” continua em todo o Estado por tempo indeterminado e novos alvos já estão sendo monitorados pelas Instituições.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×