Geral

Adequação salarial para monitores escolares é projeto da Secretaria de Educação de Itabirito

Ao contrário do que foi noticiado pela imprensa, a adequação salarial dos monitores escolares das creches é resultado do trabalho da equipe da Educação desde o início da gestão.

Na última quarta-feira (4), o projeto de adequação salarial para alguns funcionários efetivos da Prefeitura de Itabirito foi aprovado, em reunião extraordinária na Câmara de Itabirito. Trata-se dos projetos de lei 30 e 31 de 2018, que prevê o reajuste no salário dos monitores escolares, enfermeiros e dentistas, enfermeiros.

Entretanto, no caso dos monitores escolares, ao contrário do que foi divulgado em outros veículos da imprensa local, o projeto foi elaborado pela equipe da Secretaria de Educação. Desde o início da atual gestão, a secretária de Educação, Ana Góis, juntamente com a diretora dos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis), Marivalva Braga, e a vice-diretora dos Cmeis, Daniela Gurgel, estão se empenhando para equiparar o salários dos monitores escolares, que trabalham nas creches, com o salário dos professores.

A secretária de Educação, em entrevista ao Sou Notícia, revelou que “fazer valer o direito da creche, como primeira etapa da educação infantil e conceder a todos os direito de férias em janeiro, recessos em julho e outubro, ou seja, seguir o calendário das escolas, foi um trabalho de conscientização da gestão que está à frente da secretaria desde 2013”.

A diretora e a vice-diretora das Cmeis, Marinalva e Daniela, também afirmaram ao Sou Notícia que a valorização dos profissionais que já se encontravam dentro das creches e que possuem formação em magistério foi uma preocupação da equipe da Secretaria de Educação.

Com a mudança, o salário e a carga horária para monitores escolares passa a ser igual ao dos professores da educação básica. A medida foi tomada com base na Lei de Diretrizes e Bases, que rege a educação brasileira.

“Muita luta. A ideia era que esse projeto fosse aprovado ainda em 2017. Mas foi preciso aguardar todas as nomeações. Hoje, podemos dizer que nos sentimos livres, felizes por conceder direito a quem tem o direito de forma legal, consciente e coerente“, ressaltou Ana Góis.

Para se ter uma ideia, em 2013, os monitores escolares recebiam R$780,00. Com um ano da gestão atual que está à frente da Secretaria de Educação, o salário dos contratados passou para R$1339,00, um aumento de 71%. Com a aprovação dos Projetos de Lei 30 e 31 de 2018, a quantia paga aos servidores efetivos passa para R$2139,28, aumento de 60%. Desde que Ana Góis assumiu a secretaria, houve um aumento de 130% no salário dos monitores escolares.

A vice-diretora dos Cmeis, Daniela Gurgel, comemora a aprovação do Projeto de Lei e ressalta o valor da conquista para os profissionais: “Estão todos muito felizes. Era um anseio das monitoras o reconhecimento como professoras. Elas estão muito satisfeitas”.

“Algumas estão equivocadas, achando que o processo se deu agora, no final, por meio de alguns vereadores. E não foi! Os vereadores fizeram só valer o que eles tinham que fazer mesmo, que é aprovar ou não aprovar. E por unanimidade, graças a Deus, todos aprovaram”, ponderou a diretora dos Cmeis, Marinalva Braga.

De acordo com Ana Góis, as pessoas tinham uma ideia das creches como espaços sociais, assistencialistas, e não como espaço de educação. “A educação infantil, especificamente as creches, foi nossa prioridade”, afirma a secretária. Inclusive, a criação de uma unidade de administração pedagógica voltada para crianças de 0 a 3 anos foi desenvolvida na gestão que se iniciou em 2013.

“Nos preocupamos com a infraestrutura e com as condições materiais para que as crianças tivessem maior conforto e segurança. Todas as creches mudaram do imóvel onde estavam para outros que ofereciam melhores condições. A única que permaneceu no mesmo lugar foi a creche Pequeno Cidadão”, conta a secretária.

Ana Góis reforça que a introdução de material didático e a formação continuada para os profissionais por meio da Editora Positivo também foram conquistas realizadas desde que sua equipe assumiu a secretaria de Educação. A secretaria também frisa que, diferentemente do que foi notificado, os monitores de transporte escolar não serão contemplados pela adequação salarial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×