Geral

Bolsonaro vence em Itabirito, mas perde em Ouro Preto e Mariana

Itabiritenses se mostraram conservadores.

Neste domingo (28) foi realizado o segundo turno das eleições 2018 e Jair Bolsonaro, do PSL, venceu a disputa contra Fernando Haddad, do PT. Bolsonaro recebeu 57.797.464 votos (55,1%) e Haddad teve 47.040.860 votos (44,9%). Uma vitória expressiva, confirmando o favoritismo do capitão reformado do Exército, o que já vinha sendo revelado pelas pesquisas de intenção de votos desde o início da campanha eleitoral.

Em Itabirito, na Região Central de Minas Gerais, Bolsonaro recebeu 16.365 votos (59,81%) e Haddad teve 10.996 votos (40,19%). O resultado revela que a maioria dos itabiritenses apoia as pautas conservadoras defendidas por Bolsonaro, como a redução da menoridade penal, liberação do porte de armas de fogo e a não legalização do aborto e das drogas, além, é claro, de defender a família brasileira.

Já em Ouro Preto e Mariana, cidades vizinhas de Itabirito, Bolsonaro foi derrotado com larga diferença de votos por seu oponente, Fernando Haddad. Em Ouro Preto, Haddad recebeu 26.726 votos (64,57), contra 14.664 votos (35,43%) de Bolsonaro. Mariana deu a Haddad 19.882 votos (62,59%), contra 11.883 (37,41%) de Bolsonaro.

Anderson Martins, pastor da Igreja Assembleia de Deus Missão – Ministério Itabirito, presidente do Conselho Educativo de Evangélicos de Itabirito (Colei) e candidato a vereador nas eleições 2016, disse ao Sou Notícia que a direita se saiu vitoriosa em Itabirito. “Ouro Preto, Mariana e Itabirito são cidades que estão uma ao lado da outra. Podemos ver que em Itabirito, Bolsonaro ganhou muito bem as eleições. Em contrapartida, ele perdeu em Ouro Preto e Mariana. Com isso, podemos perceber que há uma força muito grande da direita em Itabirito. Pessoas que defendem os princípios da família; que são contrárias à legalização do aborto, ao kit gay nas escolas e à ideologia de gênero. A direita em Itabirito pegou pesado e nós elegemos, além do Bolsonaro, o cabo Júnio Amaral, que se tornou deputado federal, e também o Bruno Engler, eleito deputado estadual. Ambos tiveram boa votação em Itabirito”, iniciou.

“Venho, há muitos anos, travando uma luta contra pautas defendidas por ativistas em Itabirito. Movidos pela hashtag #Elenão, alguns foram às ruas e foi um fracasso o movimento. Foi comprovado! Nós também realizamos uma carreata pró-Bolsonaro que foi um sucesso, chegando a ter mais de 500 carros. Eu estive conversando com o prefeito de Itabirito, Alex Salvador, e ele declarou que votaria em Bolsonaro por gostar do então candidato. Se o gestor da cidade, um dos maiores influenciadores de Itabirito, tinha uma visão boa do Bolsonaro, o sucesso refletiu nas urnas”, completou.

“Eu tive acesso a um boletim informativo e o padre Miguel Ângelo Fiorillo, bem como Igreja Católica de Itabirito, não manifestaram publicamente o voto mas eles conscientizaram os fiéis a votar em quem defendia a pauta da família, o que Bolsonaro luta há muito tempo. Eu me emocionei muito ao ver o Magno Malta orando, em rede nacional, à pedido do próprio Bolsonaro. A campanha se iniciou e terminou em oração. Uma palavra que me chamou a atenção e que foi enfatizado é que, se Deus não interferisse nessa situação que a esquerda levou o país, a ponto de levá-lo a uma ideologia marxista, ninguém tiraria esse povo do poder”, ressaltou.

Por fim, pastor Anderson Martins afirmou que Itabirito é uma cidade conservadora. “Quando fala-se em conservadorismo, temos que conservar nossa memória de que Deus ainda está no controle do país. Então, eu vejo que Ouro Preto é uma cidade com viés ideológico de esquerda, assim como Mariana. Por isso Bolsonaro perdeu nessas cidades. Mas graças a Deus, Itabirito provou que é uma cidade conservadora. Fui candidato a vereador em 2016 e a minha pauta era fiscalizar as escolas de Itabirito a ideologia de gênero, o que quase entrou em prática. Itabirito tinha um representante LGBT que defendia essa pauta nas escolas e ele foi exonerado. Isso mostra o fracasso da esquerda em Itabirito. Eu glorifico e exalto a Deus por isso. Que Bolsonaro faça um bom governo; que tudo corra bem e que o Brasil, verdadeiramente, volte a sorrir. Não com uma ideologia de esquerda, mas com uma ideologia conservadora de direita. Brasil acima de tudo e Deus acima de todos. Viva o Brasil”, finalizou. 

Vitória de Bolsonaro em MG

Em Belo Horizonte,  o candidato do PSL recebeu 901.513 votos (65,59% dos válidos) contra 472.887 de Fernando Haddad (34,41%). Os nulos somaram 137.733 (8,86%), enquanto os brancos foram 42.776 (2,75%).

Bolsonaro venceu nos oito maiores colégios eleitorais de Minas Gerais (Belo Horizonte, Betim, Contagem, Governador Valadares, Juiz de Fora, Montes Claros, Uberaba e Uberlândia). Em Governador Valadares, Bolsonaro recebeu 94.067 votos (71,07%), contra 38.293 (28,93%) de Fernando Haddad, tendo a maior vantagem dentre as cidades citadas. Já em Juiz de Fora, cidade onde o presidente eleito sofreu um atentado em 6 de setembro, Bolsonaro recebeu 145.333 votos (52,36%) e Fernando Haddad teve 132.237 (47,64%).

Em Uberlândia, Jair Bolsonaro teve 218.367 votos (63,03%), contra 128.070 (36,97%) de Fernando Haddad. Já em Contagem, Bolsonaro recebeu  202.384 votos (65,74%), derrotando Haddad, que teve 105.418 (34,25%). Em Betim o pesselista teve 122.576 votos (62,03%), contra 75.026 (37,97%) do petista. Já em Montes Claros, Bolsonaro recebeu 108.640 votos (58,16%), contra 78.142 (41.84%) de Haddad. Uberaba deu a vitória a Bolsonaro com 106.569 votos (65.62%), contra 55.842 (34,38%) de Haddad.

Minas Gerais elegeu Jair Bolsonaro com 6.100.196 votos (58,19%), contra 4.383.099 (41,81%) de Fernando Haddad.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×