Opinião

Celebridades do mal

Pastor Anderson Martins faz uma reflexão sobre a inversão de valores nas novelas.

Muitos fazem cara feia quando o pastor fala sobre as novelas, mas contra fatos não existem argumentos. O que os escritores das ditas novelas deveriam fazer é colocar acontecimentos do dia a dia, sem levar o adultério como saída de um casamento problemático; sexo antes do casamento como algo normal e sadio; a relação de garotas e garotos do mesmo sexo. Enfim, problemas que são visíveis à sociedade, mas que deveriam ser combatidos e não absorvidos como algo normal e bom.

Na vida real, nos deparamos com o sexo antes do casamento e, por causa disso, adolescentes grávidas, a ponto de deixar a sua vida normal para cuidar de uma criança. A frase certa é “uma criança cuidando da outra, avó sendo mãe novamente”. Será que você que está lendo esta matéria não lembra da Jade? Deixa-me perguntar: para quem você torceu para ficar com ela? O seu marido ou o “Lucas”? Então se você torceu pelo Lucas, veja qual é a sua opinião sobre o adultério! Não foi isto que aconteceu?

Sempre me preocupo em troca de valores. As novelas poderiam ser mais importantes, quando mostram a luta de um casal contra a enfermidade, mas o marido estando ao lado da esposa até o fim; a busca do filho, custe o que custar, para tirá-lo das drogas; o sacrifício de um trabalhador para sustentar seu filho na escola, passando a faculdade e, por fim, se formando.

Eu sei que existem situações como essas em algumas novelas, mas quem não se lembra de Éramos Seis, Meu Pé de Laranja Lima, que a família inteira assistia sem a preocupação de ter o controle remoto nas mãos para tirar de qualquer cena pornográfica! Precisamos de pessoas que escrevam as verdadeiras novelas da vida sem pornografia. Se não existir uma cena erótica, parece que a novela não dá ibope. Bem, esta não é uma matéria sobre novelas, por isso não vou entrar a fundo no assunto, mas quem sabe em breve teremos uma.

“Vede Israel segundo a carne: os que comem os sacrifícios não são porventura participantes. Mas que digo que ídolo é alguma coisa? Ou que o sacrificado ao ídolos é alguma coisa? Antes digo estas coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios e não a Deus. E não quero que não sejas participantes com os demônios. Ou irritemos o Senhor? Somos nós mais forte do que Ele?”.

Se assistimos estes manjares, somos participantes. Lembre-se de Daniel que preferiu deixar de lado os manjares do Rei, sabendo que aqueles manjares poderiam estar envolvidos com consagrações aos deuses da Babilônia. O que falta em muitos cristãos é assumir a sua IDENTIDADE.

Nem sempre o que queremos é bom, não podemos ser sábios aos nossos próprios olhos (Isaias 5v.21), devemos estar atento para não confiar em nossa sabedoria e não analisar a situação. I Timoteo 4V.1 “Mas o Espírito expressamente diz: que nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando a ouvidos a espíritos enganadores e a doutrina de demônios.

Pense bem!

Pastor Anderson Martins é presidente da Assembleia de Deus Missão – Ministério Itabirito, presidente do Conselho Educativo de Evangélicos de Itabirito (Colei), presidente da Associação Projeto Resgate Comunidade Terapêutica, filiado à Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB), Capelão pela União dos Evangélicos do Brasil (UceBras). Casado, pai de quatro filhos, formado em Teologia pela Escola Bíblica Permanente Sião e comunicador. Tem sempre uma palavra de motivação e sabedoria para seus leitores e ouvintes. 

Tags

Jornalismo - Sou Notícia

Entre em contato com a equipe de jornalismo do portal Sou Notícia: jornalismo@sounoticia.com.br

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale com Sou Notícia