Geral

Itabirito: mulher e bebê morrem após parto domiciliar não assistido

Caso aconteceu neste domingo (25).

Uma mulher morreu após passar por um parto domiciliar não assistido neste domingo (25) em Itabirito, na Região Central de Minas Gerais.

A vítima – que não foi identificada – foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itabirito após seu filho, menor de idade, chamar um vizinho, que acionou os bombeiros municipais. A mulher teve uma parada cardíaca na UPA, foi entubada e encaminhada para o Hospital São Vicente de Paulo, onde veio a falecer.

Vizinhos disseram aos bombeiros que na casa da vítima havia um feto morto dentro de uma privada. Foi constatado que o bebê, já com nove meses e completamente formado, era filho da mulher que residia na casa. Durante o atendimento, a mulher não relatou aos socorristas que havia acabado de parir.

Após os relatos, a Polícia Militar foi acionada. O vaso sanitário teve que ser quebrado pelos bombeiros para a retirada do bebê, já que o feto estava preso na latrina.

O filho da vítima e o vizinho que acionou os bombeiros disseram aos policiais militares que não tinham conhecimento sobre a gravidez. “A não informação por parte da grávida, as roupas largas que ela usava e o porte físico dela impediram que a gravidez fosse notada”, teriam relatado o vizinho e o menor, segundo a ocorrência. O menor teria dito que notou algo no vaso, mas não percebeu que se tratava de um bebê.

Nenhum objeto que poderia causar um aborto foi localizado na residência pela perícia da Polícia Civil. Remédios ou sustâncias para esta prática também não foram encontrados no local, dando indícios de que o parto não foi provocado. O relatório médico provisório constatou que a mulher teve um parto não assistido seguido de hemorragia intensa pós parto.

O caso agora está nas mãos da Polícia Civil. Ninguém foi preso ou apreendido. As informações são do site Minuto Mais. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close