ComportamentoGeralSou Notícia

Ex-vereador Rildo Xavier comenta sobre sua passagem na Câmara Municipal de Itabirito

Em entrevista ao Sou Notícia, o ex-vereador Rildo Xavier falou sobre seu trabalho na Câmara Municipal de Itabirito nos primeiros meses de 2018 e sobre o título que entregou ao deputado federal Reginaldo Lopes no último dia 26 de novembro.

No último dia 26 de novembro, o ex-vereador Rildo Xavier foi até a Câmara Municipal de Itabirito para entregar ao deputado federal Reginaldo Lopes o título de mérito comunitário, pelo serviço prestado à cidade. O deputado foi o responsável por federalizar o IFMG de Itabirito. Além disso, no próximo dia 19, o Centro de Atendimento ao Cidadão (CAC), idealizado por Rildo, será inaugurado. Com a novidade, diversos serviços serão oferecidos pela população de Itabirito, como elaboração de currículos, inscrições em concursos públicos, vestibular, acesso à internet, confecção de carteira de identidade, entre outros. Em entrevista divulgada na 15ª edição do Jornal Sou Notícia, Rildo falou sobre sua passagem na Câmara Municipal de Itabirito. Confira:

De onde surgiu a ideia de criar o Centro de Atendimento ao Cidadão em Itabirito (CAC)?

Quando eu fui eleito em 2000, eu percebia uma deficiência muito grande das crianças em terem acesso à informática. Sempre conheci o Tila (vereador Atila), mas nessa época eu fui parceiro dele porque ele era dono da Infotec. Eu disse a ele que não queria ter gabinete parlamentar apenas por ter. Antes, a Câmara disponibilizava recursos para contratação de gabinete, mas os vereadores mais antigos tinham ojeriza de ter gabinete porque aproximava demais a cobrança do povo. Por isso, eu contratei três salas para fazer gabinete. Fiz uma no centro, uma no Tombadouro e uma na Vila Gonçalo. Eu fiz uma inclusão, permitindo o acesso à informática. Em cada bairro, eu coloquei um instrutor de informática. Foi quando eu criei um ofício, que era a informática comunitária. Isso foi em 2001. Quem fazia informática, tinha que doar material reciclável para repasse à Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Itabirito (Ascito). Nisso, o Wanderley Kuruzu foi eleito vereador em Ouro Preto e lá ele era o presidente da Câmara. Conversando com ele, dei ideia de criar a informática popular para dar acesso aos meninos. Ele, então, criou a informática popular e o Centro de Atendimento ao Cidadão. A ideia foi se expandindo e ele criou o posto de criação de identidades, colocando o serviço online, além de dez computadores para os meninos terem acesso à informática. Foi criado também o Programa de Atendimento ao Idoso (PAI). No meu caso, não podia instalar o CAC em Itabirito porque eu não era o presidente da Câmara. Essa é uma deliberação do presidente e não do vereador. Sempre foi um sonho meu que Itabirito tivesse um CAC. Pra mim, é uma vergonha para a cidade ter que fazer a população esperar tanto tempo para fazer a identidade, por exemplo.

Quando o CAC passou a se tornar uma realidade mais próxima para Itabirito?

Quando o Rodrigo do Porco se tornou presidente da Câmara, ele me deu carta branca para fazer algo que ficasse na história. Ele tinha um sonho de converter o dinheiro da Câmara para o povo e facilitar a emissão de carteira de identidade e internet para a população. Foi aí que o CAC começou a se tornar uma realidade. Primeira coisa a se fazer: tirar o posto de identificação da rodoviária e trazer para o centro. Com o CAC, pode-se garantir a informática popular e uma série de benefícios para a população. Então, eu olhei um ponto, fizemos uma avaliação, alugamos o local e eu comecei a trabalhar na questão da licitação para colocar os materiais lá. Agora, tudo já foi viabilizado e está prestes a ser inaugurado o CAC de Itabirito.

Por qual motivo você quis entregar o título de mérito comunitário ao deputado federal Reginaldo Lopes?

O Reginaldo Lopes ganhou esse título por ter federalizado o IFMG de Itabirito. Antes, tudo ficava à cargo da Prefeitura de Itabirito e era pesado, mesmo que naquela época a prefeitura ainda tivesse uma boa arrecadação, além de não estar na crise e com os vários repasses do Governo Federal para minimizar as despesas do município. A federalização veio num momento muito oportuno.

O que poderia acontecer caso o processo de federalização não tivesse acontecido?

Se isso não tivesse acontecido, os gastos ainda estariam sob responsabilidade da prefeitura e o prefeito não ia dar conta com essa crise que estamos vivendo agora. O pagamento dos professores poderia ficar atrasado e a instituição poderia até encerrar suas atividades. Não podíamos perder o IFMG de Itabirito. Isso foi um avanço. O Reginaldo está em seu quarto mandato e foi o terceiro deputado federal mais bem votado. Ele é um cara que veio da roça, se formou em economia e venceu barreiras. É um cara muito bacana. Esse mérito comunitário fui eu que dei. Na época, ele não veio e enviou um assessor. Porém, no regimento está escrito que o reconhecimento só vale quando a pessoa homenageada recebe o título em mãos.

Qual mensagem você deixa para a população de Itabirito?

Desejo que as pessoas se envolvam com bastante fé, porque eu acho que isso é o mais importante. Deus estando em primeiro lugar, o resto nós conquistamos. É preciso estar bem com Deus e com nossa família, para depois estender isso para a população de um modo geral. É assim que poderemos vencer os obstáculos que surgem. Acredito que 2019 será um ano promissor, por várias mudanças que aconteceram. A população está mais envolvida e coisas boas virão. Temos que acreditar.

Tags

Jornalismo - Sou Notícia

Entre em contato com a equipe de jornalismo do portal Sou Notícia: jornalismo@sounoticia.com.br

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *