Geral

Itabirito: cavalgada de romeiros percorrerá cerca de 600 km até o Santuário Nacional de Aparecida (SP)

Serão 14 dias de romaria, em um ato de fé e devoção à Nossa Senhora Aparecida.

Neste sábado (12), após a missa das 15h, na Paróquia de São Sebastião, em Itabirito, os Romeiros da Estrada Real vão iniciar uma cavalgada que percorrerá aproximadamente 600 quilômetros, em 14 dias, até o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo. A ação faz parte das comemorações do Jubileu de Diamante da Paróquia de São Sebastião, que em 2019 completa 60 anos.

Antes, às 13h30, os romeiros vão descer com as mulas no canteiro próximo ao estacionamento da Praça da Estação e em frente à Nutrito.

Saindo de Itabirito, os romeiros seguirão até Engenheiro Corrêa, indo para Congonhas, Entre Rios, Lagoa Dourada, Rio das Mortes, que fica depois de São João del Rei, Capela do Saco, um distrito de Carrancas, Carrancas, Cruzília, Caxambu, São Sebastião do Rio Verde, Passa Quatro, Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP), Potim e, por fim, Aparecida. “Como está fazendo muito calor, vamos montar às 4h da manhã, em cada parada, e vamos até 11h da manhã. Todas os locais de parada possuem pouso, com lugares para nós descansarmos e os animais também. Vamos levar 20 fardos de feno e 10 sacos de ração no caminhão, fora a medicação, com vitaminas e remédios para dor. O Lucas, um amigo nosso, vai para ferrar os animais e ver se precisa de algo, além do motorista do caminhão que vai com o cozinheiro”, destaca Vinícius Braga, presidente da comitiva.

A previsão de chegada em Aparecida é para o dia 25 de janeiro. “Vamos em marcha, levando 16 animais, uma vez que sempre trocamos as mulas para que eles não fiquem cansados. Todos eles vão sendo tocados e, o animal que é montado num dia, no outro descansa. Temos um veterinário que nos acompanha, os animais não se machucam e tudo ocorre com muita tranquilidade”, diz Vinícius.

Divulgação.

Ao todo, nove pessoas irão montadas nas mulas. Porém, com a parte de apoio, serão 11 pessoas indo de Itabirito até Aparecida, num ato de fé e devoção à Nossa Senhora Aparecida, sendo elas: Rogério Oliveira, Douglas Oliveira, Vinícius Braga, Ueverton, Lucas (filho do ex-vereador Zé Maria), Geraldo Matias, João Vitor, Davi, Cássio Mendanha, Geraldo Mendanha, Lucas Marcos e Hélcio de Morais.

“Essa romaria começou em 2015, a partir de uma ideia que eu e meu amigo Douglas Oliveira tivemos lá no Açougue do Matias. Eu cheguei para ele e propus de irmos para Aparecida do Norte. Em uma semana, nos encontramos, eu sou muito devoto de Nossa Senhora Aparecida e ele também é. No primeiro ano, fomos em oito pessoas. Em 2017 fomos novamente e, agora, estamos fazendo a terceira romaria. Vamos à moda antiga, como os tropeiros, com somente muares, animais de carga resistentes, inteligentes, de fácil manejo e vida longa”, afirma o presidente da comitiva.

Para Vinícius, a finalidade de todos os cavaleiros que percorrerão as estradas do Brasil é a fé. “Cada um tem sua fé; seu interior; o que procura para a vida e o que acredita. Então, tudo que cremos em nossa mãe do céu e pedimos com fé, nós conseguimos”, reforça, acrescentando também que esta terceira cavalgada servirá como homenagem a um romeiro que fazia parte da comotiva e faleceu no fim do ano passado. “Na última romaria, o Rafael Torres foi conosco, sendo que ele fez também outras romarias junto com nosso grupo, como na vez que fomos para a Serra da Piedade, e infelizmente aconteceu um acidente com ele em dezembro e ele veio a falecer. Ele era de Belo Horizonte e, quando ele nos ligou manifestando interesse de participar da romaria, ele perguntou o que era preciso para ir junto com a comitiva e eu respondi que o importante é ter fé. Segundo a família do Rafael, depois que ele nos acompanhou na romaria, a vida dele mudou completamente. Inclusive, ele foi sepultado com a camisa da romaria. Ele iria nesta romaria e estava tudo marcado. Então, vamos agora, pela fé e pelo que gostamos, como o muares, mas também em luto e em memória ao nosso amigo Rafael Torres. “, enfatiza o presidente da comitiva.

Divulgação.

Ao chegar em Aparecida, a comitiva ficará na cidade por dois dias. “Chegamos lá, vamos a uma missa, temos uma recepção muito boa na Basílica antiga, tiramos algumas fotos. Depois, estamos liberados para quem quiser voltar. Todos voltam juntos, em uma van, e os animais voltam embarcados“, frisa.

O grupo também faz romaria para a  Serra da Piedade. “Geralmente são três dias, passando pela Serra do Capanema, Serra do Caraça, Morro Vermelho e, passando pelo Acuruí, chegamos em Caeté. São essas duas romarias que fazemos. Em 2020, estamos com um projeto de fazer uma romaria de Itabirito até Trindade, em Goiás. Serão 32 dias de marcha e já temos cinco amigos escalados para essa viagem. Caso alguém tenha interesse, é só entrar em contato comigo pelo telefone 98962-6541. Sendo gente boa, vamos firmes e fortes. O importante é ter fé. Para todos que vão, é uma experiência inexplicável. Eu digo que é um BBB dos nossos amigos, pois são vários dias, aprendendo muito com a convivência e com os lugares maravilhosos por onde passamos. A ligação do homem com o animal não tem igual. Chegando lá, realmente recebemos a benção da nossa mãezinha, Nossa Senhora Aparecida”, finaliza Vinícius.

Tags

Jornalismo - Sou Notícia

Entre em contato com a equipe de jornalismo do portal Sou Notícia: jornalismo@sounoticia.com.br

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *