Geral

Respostas de servidoras nortearão futura Coordenadoria da Mulher de Itabirito

Nesta sexta, garis participaram de um evento na Câmara no qual elas responderam a um questionário.

Imagine uma situação fictícia baseada em realidade. Maria é uma moradora de Itabirito que, de vez em quando, sofre violência vinda de seu companheiro. Ela não tem muita informação sobre direitos da mulher. Contudo, isso não tira de Maria o direito de não mais viver com medo. O que ela tem de fazer?

Atualmente, existem instituições como a Justiça, o Ministério Público e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) que podem ajudar a mulher que é vítima de violência. Todavia, nos próximos meses, será criada, pela Prefeitura de Itabirito, a Coordenadoria Municipal da Mulher, um canal especializado para atender o sexo feminino.

São vários os tipos de situação que podem ser enfrentadas por uma mulher: violências sexual, doméstica, moral, patrimonial, psicológica e institucional; importunação sexual; assédios moral e sexual, e cárcere privado.

Nesta sexta-feira (8), no começo da tarde, garis de Itabirito participaram de encontro na Câmara, no qual elas responderam a um questionário com perguntas sobre vários tipos situação indesejáveis contra a mulher. Em uma das questões, por exemplo, as garis responderam se alguém já as obrigou a ficar em algum lugar, o que poderia configurar um exemplo de cárcere privado, situação bastante comum na vida de muitas mulheres.

Os questionários serão um norte para que sejam implementadas políticas públicas em defesa do sexo feminino.

“Todas as servidores municipais responderão ao questionário”, disse Juliana Silveira, funcionária do município que será a coordenadora da futura repartição da Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Itabirito. “Estamos na parte jurídica do processo de criação da coordenadoria”, disse ela que bacharel em serviço social.

A futura coordenadora afirmou também que está sendo organizada em Itabirito a criação do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher. “O que queremos é garantir os direitos de todas as mulheres, sem partidarismo”, garantiu Juliana.

O prefeito Alex Salvador (PSD) e o presidente da Câmara, Arnaldo Pereira dos Santos (MDB), estiveram no encontro com as garis. Primeiramente, Arnaldo elogiou o trabalho das servidoras na limpeza das ruas durante o carnaval. Trabalho esse reconhecido para além das fronteiras de Itabirito. Depois, Arnaldo falou sobre a participação da mulher na Casa Legislativa. “Temos somente uma vereadora, mas no que diz respeito às funcionárias da Câmara, a maioria é mulher. Inclusive, nos cargos de direção”, afirmou o presidente.

O evento na Câmara teve o apoio do grupo Minabloco.

Artigos relacionados

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close