ComportamentoGeralItabirito

Polêmico áudio de padre Miguel é assunto em reunião na Câmara de Itabirito

Durante reunião ordinária desta segunda-feira (22), vereadores se manifestaram a respeito de um áudio gravado pelo padre Miguel Ângelo Fiorillo no qual o pároco afirma que legisladores itabiritenses são “cúmplices de um suposto suborno da Justiça”.

A bem da verdade, são dois áudios. O primeiro é um emaranhado de rápidas informações que, sem o ouvinte ter bom conhecimento dos contextos políticos de Itabirito, chega a ser de difícil entendimento. Nele, o padre chama o atual grupo que está na Prefeitura de “quadrilha que está roubando…”.

No segundo áudio, com o padre mais calmo e com o discurso mais claro, Miguel elogia vereadores e o prefeito interino Arnaldo Pereira dos Santos. Ou seja, na primeira gravação, o pároco faz acusações rasgadas. Na segunda, aparentemente, tenta se mostrar mais ponderado.

No primeiro áudio, o padre crítica um suposto reajuste que o pároco acredita ser do salário dos servidores públicos da Prefeitura. Contudo, o reajuste de 100% foi do cartão alimentação para funcionários municipais que ganham até R$ 2.129, 60 (o que não inclui, por exemplo, secretários, diretores nem sequer assessores).

Já é sabido que o padre sempre foi oposição ao atual grupo que está na Prefeitura e sempre se posicionou como tal durante inflamados discursos toda vez que tem oportunidade. Definitivamente, o pároco, como qualquer cidadão, tem direito a se manifestar. Todavia, ao mesmo tempo, ele tem de se responsabilizar e apresentar provas de suas acusações.

A tal cumplicidade dos vereadores, citada pelo padre, tem a ver com uma fala gravada pelo ex-prefeito Alex Salvador por meio da qual ele diz estar tranquilo com o resultado do processo contra ele e seu vice Wolney Oliveira no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Alex até especulou um resultado a seu favor.

Pois bem, o resultado divulgado não correspondeu à realidade, ou seja, Alex errou em sua previsão. Como então a Justiça foi subornada?

O áudio de Alex foi endereçado aos vereadores de situação.

Sabe-se que ex-prefeito responde a processos. Sabe-se que existe um clamor por Justiça. Sabe-se que o discurso da oposição está forte na cidade. Contudo, qualquer acusação (por pior que seja o acusado) tem de ser feita com base na verdade. Caso contrário, corre-se o risco cometer crimes de calúnia, injúria e difamação. “Mas eu digo que, no dia do juízo, os homens haverão de dar conta de toda palavra inútil que tiverem falado”, diz a Bíblia em Mateus 12:36.

O padre não é somente um cidadão. É um formador de opinião. Na altura de sua função de pároco, é um dos dois representantes, em Itabirito, de uma das mais importantes instituições do mundo: a Igreja Católica. Espera-se, então, que ele não se manifeste ao “deus-dará”, impulsionado por emoções e pela atual popularidade em xeque da administração que hoje coordena a Prefeitura.

Algumas questões podem ser colocadas: será que todo o alto escalão da atual Prefeitura faz parte de uma quadrilha? A fala do ex-prefeito Alex Salvador é prova de suborno à Justiça? Repetindo, como pode ter havido suborno se Alex errou o placar no TRE?

A gravação do padre tem outro detalhe: em um momento, o pároco cita a oposição numa fala truncada. Não se sabe exatamente se Miguel de fato fala mal da oposição ou se o alvo é somente a situação.

Durante reunião da Câmara, desta segunda, o vereador Nilson Tem Tudo (PPS) afirmou que continua admirando o padre, mas respondeu dizendo que não faz parte de quadrilha.

“Fiz o debut cristão na igreja da Boa Viagem. E sou muito grato por isso (…). Respeito a opinião de quem a emitiu (…). Mas se alguém achar que faço parte de alguma quadrinha, o Ministério Público está aí para isso (para denunciar)”, disse o vereador Renê Butekus (PSDB).

O presidente vereador Rodrigo do Porco (PSD) foi mais direto. “Estive reunido com o corpo jurídico da Câmara para saber quais as providências podem ser tomadas. É inadmissível uma acusação sem prova”, afirmou o presidente.

Artigos relacionados

4 Comments

  1. Com relação ao padre Miguel, o mesmo tem que procurar serviço, a igreja católica não existe união, vivem de poderes e valores, será que quando Jesus veio a terra ele vivia de ouro e prata? Nas vestes de Jesus existia bolso? Jesus carregava mala para guardar dinheiro, qual trecho da bíblia Jesus vendia suas sabias palavras, este padre Miguel e hipócrita, sem Deus no coração, na igreja ele acha que e o dono da casa do pai, na realidade ele simplesmente e um pau mandado, esqueci que a casa de Deus e de todos, verme safado, hipócrita, sem noção, na realidade um idiota, e pessoa como ele deveria ser porteiro de casa noturna, lá sim ele iria se dar bem.

    1. Com certeza Cássio. Esse padreco forasteiro é politiqueiro e safado! De padre não tem nada! Quem aceita uma hóstia consagrada por ele está pecando junto!!! O padreco parece mais uma muié de saia! Fofoqueiro, politiqueiro, conversador de prosa fiada, rezar que é baom nada! Nem de Itabirito esse cara é!!!

  2. Concordo plenamente, ele tem que levar a palavra de Deus para todos o filhos do pai, Deus deixou a palavra da vida, da caridade e do bem ao próximo, em nenhum trecho da bíblia Deus fala sobre política, conforme falei, e repito, não tenho medo algum do que publico, o serviço mais próximo que ele poderia estar e em portaria de casa noturna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close