GeralItabiritoMarianaOuro Preto

Nível de alerta é reduzido de 2 para 1, e mineradora retoma atividades no Complexo de Vargem Grande

Vale informou por meio de um comunicado nesta quarta-feira (05) de junho de 2019, um aumento no grau de segurança da barragem Vargem Grande, na mina de Abóboras, localizada na cidade de Nova Lima (MG), o que levou à redução do nível de alerta de 2 para 1.

Com a redução de nível , a empresa mineradora disse que irá agendar uma reunião com moradores das proximidades que haviam sido retirados da região, para que seja feita uma possível “avaliação do retorno para as casas”, disse a empresa.

No total, 51 pessoas haviam sido retiradas de um condomínio e de vilas na chamada Zona de Autossalvamento do empreendimento, de acordo com a mineradora.

A Vale disse ainda que a mudança no nível de alerta “é fruto de uma série de melhorias” na unidade, acrescentando ter expectativa de que “com a continuidade dessas ações, a estrutura seja totalmente retirada da condição de alerta”. A empresa, no entanto, não citou prazos para a retirada do alerta.

COMPLEXO DE VARGEM GRANDE

 

A Agência Nacional de Mineração (ANM) tinha determinado no final de fevereiro de 2019 a suspensão imediata das atividades no complexo de Vargem Grande para evitar riscos, em meio aos desdobramentos do rompimento de barragem da Vale em Brumadinho (MG) que deixou centenas de mortos e levantou preocupações sobre a segurança em outras instalações da companhia.

A Vargem Grande é uma das 19 estruturas da companhia construídas com o método a montante – o mesmo usado nas barragens de Mariana e Brumadinho.

VEJA NA ÍNTEGRA O COMUNICADO DA MINERADORA VALE

” A barragem Vargem Grande, localizada na mina de Abóboras, em Nova Lima (MG), aumentou seu grau de segurança e teve seu nível de alerta do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM) reduzido de 2 para 1. A alteração foi registrada pela Vale no sistema SIGBM da Agência Nacional de Mineração (ANM) na terça-feira, 4 de junho.

A mudança no status é fruto de uma série de melhorias que a Vale vem implantando na estrutura desde janeiro deste ano, como o rebaixamento do nível de água do reservatório; limpeza dos canais de drenagem e estudos de sensibilidade junto à empresa auditora para avaliação do impacto do rebaixamento do nível d’água na estabilidade da barragem. Foi feita ainda uma detalhada avaliação técnica das deformações apresentadas no sistema de monitoramento por inclinômetros (instrumentos instalados em furos de sondagem para medição de deformações). A expectativa é de que, com a continuidade dessas ações, a estrutura seja totalmente retirada da condição de alerta.

Em 20 de fevereiro de 2019, devido à falta de parâmetros para avaliação de deformações apontadas no sistema de monitoramento por inclinômetros, a Vale decidiu, por questão de segurança, declarar a estrutura em nível 2 de emergência e promover a evacuação da Zona de Autossalvamento (ZAS).

No total, foram retiradas 51 pessoas do condomínio Solar da Lagoa e das vilas “A” e Codornas da empresa AngloGold Ashanti. A Vale comunicou a Defesa Civil sobre a mudança do nível de alerta e uma reunião com os moradores da ZAS será marcada para que seja feita uma avaliação do retorno para as casas.

Além disso, a BR-356, cujo trecho entre os quilômetros 37 e 40 (que poderia ser atingido por um eventual rompimento) funcionava com operação assistida, não precisará mais contar com esse tipo de monitoramento.”

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close