GeralItabiritoMarianaOuro Preto

A história da cachorrinha Chiquinha, que sensibilizou as equipes da UVZ e do IDDA Ouro Preto e Mariana

Foi durante uma visita do Instituto de Defesa dos Direitos do Animais à Unidade de Vigilância de Zoonoses de Ouro Preto que a Chiquinha chegou. Chiquinha é uma cachorrinha que havia sido atropelada no bairro Padre Faria e, apesar de muito machucada, o resgate da cadelinha só foi solicitado bastante tempo depois.

Depois de receber os cuidados de primeiros-socorros, a veterinária da Prefeitura, Bruna Carla Maciel Santana de Lima, identificou que o caso dela era bastante sério, em razão de uma fratura exposta em uma das patas. Imediatamente, as equipes do IDDA e da UVZ uniram esforços para viabilizar o tratamento adequado para a cachorrinha, que foi levada para uma cirurgia de emergência em uma clínica veterinária de Mariana.

Em razão da demora na solicitação do resgate, Chiquinha precisou ser internada e acabou perdendo uma das pernas traseiras, por causa de uma grave infecção. Mesmo assim, a cadelinha, valente, resistiu bem e está se recuperando.

O caso da Chiquinha demonstra a importância das pessoas de bem se unirem em situações de emergência que envolvem o sofrimento dos animais. Não basta se sensibilizar, é preciso ter atitude. Talvez, se a UVZ tivesse sido acionada antes, o tratamento da Chiquinha seria mais simples e muito menos doloroso.

O diretor de Vigilância em Saúde, Ricardo Martins Fortes, explica que nenhuma Unidade de Vigilância de Zoonoses realiza um procedimento daquele porte, pois envolve equipamentos especializados, como raio x e outros. Com isso, os custos do tratamento da Chiquinha tiveram de ser assumidos pelos voluntários do IDDA. A Prefeitura, além de ter viabilizado o resgate da cachorrinha e o transporte para a cirurgia, está fornecendo ainda os medicamentos que ela necessita para se recuperar.

Mas, a história da brava cadelinha ainda não acabou. Está no ar a campanha “Ajude a Chiquinha”, e quem puder (e quiser) colaborar, é só entrar em contato direto com o Instituto de Defesa dos Direitos dos Animais pelo telefone (31) 99356-6909, ou depositar sua doação na Caixa em nome do Instituto de Defesa dos Direitos dos Animais, Cnpj 23.704.370/0001-05, operação 013, agência 2012, conta poupança 3467-6.

A campanha é voltada para arrecadar recursos para cobrir os gastos com a cirurgia emergencial, que foi realizada em clínica particular e custou R$1250,00. Procura-se também quem possa ceder um lar temporário para a doce e sofrida cachorrinha, vítima da crueldade e insensibilidade daqueles que não atentaram para o seu sofrimento.

Crueldade também nas estradas

Recentemente, aconteceu no auditório da Assembleia Legislativa de Minas Gerais uma Audiência Pública que debateu o altíssimo índice de atropelamentos de animais e medidas emergenciais e de prevenção que precisam ser adotadas.

Estima-se que cerca de 475 milhões de animais morrem atropelados por ano nas rodovias do País, o equivalente a 15 mortes por segundo. O debate foi marcado pela defesa de que o licenciamento ambiental no Estado deve incorporar a proteção da fauna nas concessões rodoviárias e projetos de estradas.

O deputado Noraldino Junior, que solicitou a audiência, defendeu que as concessões de rodovias precisam contemplar credenciamento de clínicas veterinárias para o atendimento de animais atropelados, Segundo ele, animais de todas as espécies estariam sendo recolhidos por concessionárias, não para tratamento, mas para descarte em encostas. Os animais recolhidos são abandonados à própria sorte, ainda vivos e cheios de dor.
*Informações Departamento de Comunicação PMOP*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close