GeralItabiritoMarianaOuro Preto

‘Golpe do falso emprego’: Polícia Civil cumpre mandados contra oito empresas de Minas Gerais

Nesta terça-feira (5), a corporação desencadeou a operação “Primum Officium” para desarticular a quadrilha. No total, a Justiça expediu 18 mandados de busca e apreensão, que foram cumpridos em BH e mais quatro cidades da região metropolitana – Contagem, Nova Lima, Santa Luzia e Ibirité. Ninguém foi preso, mas 17 pessoas suspeitas de integrar o esquema foram identificadas.

A operação intitulada “Primum Officium” identificou empresas que estariam obtendo vantagem ilícita ao induzir a erro dezenas de vítimas que buscam emprego. “As vítimas são pessoas que estão procurando o primeiro emprego, principalmente menor aprendiz e, às vezes, dão tudo o que têm de recurso financeiro”, ressaltou a Delegada que presidiu as investigações, Claudia Marra.

Ao todo, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) identificou o envolvimento de oito empresas e 17 envolvidos, sendo nove homens e oito mulheres.

Ainda segundo a Delegada, as vítimas eram chamadas aos estabelecimentos de recrutamento e seleção e lá eram submetidas a testes ou entrevistas. Depois de realizados, os funcionários informavam ao candidato que ele não possuía capacitação e que, para conseguir a suposta vaga de emprego, era necessário adquirir um curso de informática: “Neste teste de conhecimento ninguém passava, todos eram reprovados, e aí que está o golpe de estelionato”, afirma.

“A partir do momento que a pessoa paga o curso de informática ela é enganada, pois não existe a tal vaga de emprego que eles diziam ser garantida”, explicou.

As vítimas chegavam a pagar, em média, R$ 600 pelo curso. “Os suspeitos continuam sendo investigados e, após análise dos objetos apreendidos, vamos encerrar as investigações e, se possível, terminar com indiciamento”, finalizou Claudia.

*Fonte: Departamento de Comunicação da PCMG*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close