EntretenimentoGeralOuro Preto

Ouro Preto se habilita no ICMS Turismo com nota máxima

Por três anos consecutivos com conceito máximo, Ouro Preto garante sua habilitação no programa da Secretaria de Estado Cultura e Turismo

Ouro Preto recebeu nota máxima no ICMS Turismo ano referência 2018, da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult- MG). A relação dos municípios habilitados no ICMS Turismo foi divulgada na última quinta-feira, 19. Este é o terceiro ano consecutivo em que a cidade obtém o conceito máximo na avaliação do governo estadual, uma vez que repetiu o feito nos anos base 2016 e 2017.

No processo de avaliação da Secult são levadas em conta as políticas públicas de turismo de cada município, ou seja, se elas estão em conformidade com o que determina o governo do Estado. Possuir um Plano Municipal de Turismo, um Fundo Municipal de Turismo e um Conselho de Turismo atuante, são alguns critérios a serem observados na avaliação. Dessa forma, os municípios habilitados recebem recursos do governo que são revertidos para ações da cidade nas demandas turísticas.

Outros municípios do Circuito do Ouro também estão na lista dos habilitados, como Itabirito, Rio Acima, Sabará e Santa Bárbara.

Felipe Guerra, secretário de Turismo, Indústria e Comércio, ressalta que esse é um resultado do trabalho em equipe desenvolvido na Secretaria. “É com muita felicidade que recebemos novamente a notícia que Ouro Preto, pelo terceiro ano consecutivo, recebe nota máxima no ICMS Turismo em todos os requisitos. Isso é um marco para a cidade, lembrando que, quando nós assumimos a secretaria, Ouro Preto ainda não era habilitada e não tinha recebido conceito máximo por não estar em consonância com as políticas públicas estaduais. Hoje, Ouro Preto é modelo, não só em nível estadual, mas também nacional. Quero parabenizar toda a equipe técnica da Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio pelo trabalho maravilhoso que vem sendo feito nesses três anos. Isso é mérito da equipe, que colocou Ouro Preto em um lugar que não deveria ter deixado de estar”, afirmou o secretário.

 

Fonte: Departamento de Comunicação da PMOP

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close