GeralItabirito

Secretário de Saúde responde sobre covid-19 e falta de medicamentos em reunião da Câmara Municipal

Coronavírus em Itabirito, reabertura do comércio e falta de 42 medicamentos no sistema de saúde do Município. Esses foram alguns dos assuntos tratados pelo secretário de Saúde de Itabirito, o médico Marco Antônio Félix, durante reunião ordinária da Câmara, nesta segunda-feira (18). Itabirito teve dois casos confirmados da covid-19, com uma morte.

Por meio de ordem judicial, o município foi obrigado a aderir ao Programa Minas Consciente do Governo do Estado de Minas Gerais. Sendo assim, parte dos estabelecimentos da cidade teve de ser fechada novamente. A futura reabertura está condicionada à situação da saúde e a ociosidade dos leitos não só de Itabirito, mas também de cidades próximas da mesma macrorregião.

ONDA BRANCA

Segundo o Programa Minas Consciente, o estado foi dividido em macrorregiões. Itabirito, especificamente, pertence à macrorregião central.

Atualmente, a cidade está na segunda onda, denominada “branca”. Nesta onda, especificamente, pode funcionar, por exemplo, lojas de artigos esportivos, móveis e tecidos (além dos serviços básicos).

Na primeira onda, chamada de verde, podem funcionar os serviços essenciais, como bancos, açougues e supermercados. Na terceira onda, a amarela, é permitida a abertura de lojas de roupas e papelarias, por exemplo. Há também a onda vermelha (quarta onda), que inclui hotéis, salões de beleza etc.

As academias e clubes, segundo Governo de Estado, só poderão voltar a funcionar depois do controle da pandemia, ou seja, depois de passada a onda vermelha.

No dia 28 de maio, haverá uma reavaliação do Comitê Estadual de Crise para saber se Itabirito mudará de onda. A cidade pode progredir, permanecer como está ou regredir.

As informações detalhadas daquilo que pode ou não funcionar em Minas estão no site oficial (www.mg.gov.br/minasconsciente).

COMO ESTAVA A SECRETARIA DE SAÚDE

Marco Antônio foi perguntado sobre como ele recebeu a Secretaria Municipal de Saúde da gestão passada. A resposta foi a seguinte: “Eu tenho elogiado as pessoas que me antecederam. Itabirito é uma cidade que tem um  sistema de saúde muito bom. Então, não cabe a mim fazer criticas às pessoas que me antecederam. Ao contrário! Eu tenho que elogiá-las porque o município dispõe de muitos mecanismos, de muitos instrumentos de saúde, que são exemplares”.

O secretário continuou: “Evidentemente que nós assumimos a secretaria num momento difícil para o município, em uma eleição extemporânea, nós assumimos em setembro. Até que nós pudéssemos entender o que estava se passando. Tivemos um período difícil de chuva, veio a covid, as dificuldades que a gente teve para entender a secretaria como um todo”.

Na sequência, o secretário disse que o papel do gestor é “olhar para a frente”. “Essa é a minha conduta”, garantiu.

MEDIÇÃO DE FEBRE EM ESTABELECIMENTOS

O secretário esclareceu que a intenção da medição da temperatura no comércio é proteger os comerciantes e a população. E não impedir, porventura, simplesmente, a entrada de alguém. “Na medida em que barreiras são criadas, outras pessoas não serão contaminadas”, disse. Contudo, ele admitiu que a medida “só não foi exequível (realizável) por falta de termômetros no mercado mundial”.

BAIRRO COUNTRY

Ainda sobre as barreiras, o secretário disse que o acesso 2 de Itabirito será aberto e passará a ser uma barreira sanitária a pedido dos moradores do bairro Country, que estão tendo dificuldade de acesso à área central da cidade após o fechamento.

MINAS MAIS

Sobre fluxo de novos trabalhadores da empresa Minas Mais, o secretário informou que a própria empresa está fazendo o controle por meio de medição da temperatura, por exemplo. Ele negou que 400 novos trabalhadores vieram para a cidade. E salientou que a Prefeitura sugeriu que a empresa priorizasse a mão de obra local. Segundo o secretário, todas as pessoas que vêm de fora deveriam passar pela quarentena, e afirmou que a Prefeitura tem fiscalizado os alojamentos. Para ele, tais ações “têm se mostrado muito eficiente”.

INSALUBRILIDADE

O secretário ainda afirmou que a Prefeitura está estudando a possibilidade de pagar “insalubridade maior” aos profissionais de saúde que estão na linha de frente.

As informações são da Câmara Municipal de Itabirito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close