EntretenimentoGames e Eletrônicos

Euro Truck Simulator: o jogo de caminhão que conquistou os gamers

Com mais de 9 milhões e um dos mais vendidos na Steam, ''Euro Truck Simulator 2'', jogo que simula a experiência de dirigir um caminhão, faz sucesso por todo o mundo

O transporte rodoviário é responsável por 60% da circulação de produtos no Brasil. E por trás dos milhares de caminhões que cruzam o país todos os dias, se desenvolveu uma cultura de pessoas apaixonadas por caminhões. No mundo dos games, não é diferente.

de hoje vamos falar do sucesso de “Euro Truck Simulator 2”.

jogo, que simula a experiência de dirigir um caminhão, é ambientado na Europa. Porém, jogadores por todo o mundo criam modificações para deixar o jogo com uma experiência mais “local”. Uma dessas modificações é o EAA, que acrescenta, em escala reduzida, cerca de 850 cidades da América do Sul ao jogo, a maioria delas no Brasil.
Conversamos com o criador do EAA, Roberto Restanho, para conhecer a comunidade brasileira dentro do “Euro Truck Simulator 2”.
“Euro Truck Simulator 2” (ETS2) foi lançado em 2012 pela SCS Software, uma desenvolvedora da República Tcheca especializada em simuladores. Por quase uma década, entre 2002 e 2011, a empresa desenvolveu jogos para a série “18 Wheels of Steel”, que também buscava simular a direção de um caminhão.
Em “ETS2”, o jogador realiza entregas pela Europa. No começo com caminhões de empresas, mas depois comprando os próprios caminhões, reboques, garagens e montando a própria empresa, contratando outros motoristas.

Modificações feita pelos jogadores

Não há uma grande história ou grandes acontecimentos, mas isso não impediu que o jogo conquistasse milhões de jogadores, já sendo vendidas mais de 9 milhões de cópias. Um dos fatores que contribui para o sucesso do game é a possibilidade de criar “mods”, que são modificações no jogo criadas pelos próprios jogadores.

Os “mods” permitem acrescentar novos caminhões, reboques, pinturas, ferramentas e até cidades e rodovias. Um dos maiores mods é o EAA, criado pelo engenheiro mecânico Roberto Restanho, que acrescenta, em escala reduzida, mais de 850 cidades do Brasil e de outros países da América do Sul.
“Acho que estrategicamente a SCS acertou em cheio com a possibilidade que a comunidade tem de criar mods. O jogo por si talvez não fizesse tanto sucesso se não existissem pessoas criando conteúdos adicionais para o jogo e, obviamente, o fato da SCS permitir que isso aconteça. A partir do momento que a desenvolvedora cria uma estrutura que eu posso inserir uma modificação minha e ela funciona no jogo, isso torna o jogo muito mais vivo, torna o jogo muito mais dinâmico”,

Mesmo jogo, diferentes experiências

Apesar de ter “simulator” no nome, o ETS2 não exige que o jogador faça uma auto escola para conseguir se divertir. Há várias opções e ajustes que tornam o jogo acessível para quem nunca teve a experiência de uma direção real.

Para Restranho, a existência destes dois modos de jogo, o mais “arcade” e o mais “simulator”, foi um dos principais fatores para o sucesso do “ETS2”.
“A SCS conseguiu, com essas opções, atender os dois lados. Ela atende pessoas como eu, por exemplo, que gostam de um nível de simulação extremo, e outros jogadores que estão lá descompromissados com a realidade e querem apenas dirigir um caminhão”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
×