GeralItabirito

Vereador Anderson Martins mostra a ineficiência do estacionamento rotativo ao comentar sobre polêmica

As reclamações dos usuários do estacionamento rotativo com parquímetro em Itabirito foram tema de discussão do último Itabirito Urgente, exibido na noite desta sexta-feira (01). Apesar de manifestar a favor do sistema, o vereador Anderson Martins (MDB) teceu críticas ao modelo na cidade.

De acordo com o vereador, é preciso que haja uma fiscalização ostensiva. A fala vem após um episódio que ganhou repercussão nas redes sociais envolvendo Pastor Anderson Martins. Na quinta-feira (30), às 10h25, o vereador usou o rotativo na Avenida Queiroz Jr., próximo à sede do Sou Notícia. Ele contatou uma funcionária do estacionamento rotativo e pagou valor referente a 1 hora pelo uso do serviço. Às 11h30, ao voltar para o veículo, o vereador notou que havia uma notificação. A profissional responsável pela notificação estava acompanhada de um representante da empresa do estacionamento rotativo quando o vereador foi questioná-la.

Durante a abordagem, foi dito pela funcionária que o tempo máximo de tolerância é de 10 minutos e que, por isso, a notificação foi feita. Entretanto, o vereador ainda estava dentro do tempo, uma vez que, segundo decreto municipal, o usuário do estacionamento rotativo tem 15 minutos de tolerância para procurar e identificar o profissional que deve estar de prontidão para atendimento.

Assim como a funcionária do rotativo, que gravou o diálogo, o vereador Anderson Martins também gravou a conversa e exibiu a gravação durante o Itabirito Urgente. No áudio, é possível ouvir a profissional dizendo que a tolerância do rotativo é de 10 minutos, ao contrário do que diz o decreto municipal.

Em reportagem exibida durante o programa, foi mostrado que o sistema de estacionamento rotativo com parquímetro não funciona na prática em Itabirito. Isso porque, no contrato feito pela Prefeitura de Itabirito, é preciso que haja um profissional no local onde está o parquímetro para monitoramento do serviço, tendo o usuário até 15 minutos para identificação do funcionário da empresa do rotativo.

Entretanto, a equipe do Sou Notícia, em um teste realizado no centro da cidade, aguardou por mais de 30 minutos e nenhum profissional do rotativo esteve no local, algo provado com gravações exibidas no programa ao vivo. Há também diversos pontos na cidade em que sequer existem profissionais auxiliando no uso do sistema. Isso mostra que o serviço de estacionamento do rotativo é ineficiente.

Apesar de terem mais de 700 vagas de rotativo em Itabirito, apenas quatro funcionárias trabalham na fiscalização do serviço nas ruas. “É uma indústria da multa”, disse o vereador Anderson Martins, ao explicar que a arrecadação de dinheiro pela empresa responsável pelo serviço de estacionamento rotativo na cidade se dá, essencialmente, pelo excesso de multas descabidas que são aplicadas.

Embora haja uma tentativa de manipular as informações para fazer parecer que o vereador Anderson Martins ofendeu a funcionária do estacionamento do rotativo, no áudio exibido no Itabirito Urgente fica explícito que houve, apenas, uma tentativa de entender o motivo da multa, considerando que o tempo ainda não havia excedido. Durante o programa, o vereador se solidarizou com as funcionárias do rotativo, pois a demanda é alta para o pouco número de profissionais nas ruas. As críticas destinadas ao serviço são, na verdade, para a empresa responsável pelo rotativo na cidade.

Confira a edição do Itabirito Urgente da última sexta-feira (01):

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
×