ComportamentoCORONAVÍRUSNo Mundo

Hospital nega transplante a paciente que não se vacinou contra a COVID-19

Um homem de 31 anos, conhecido como DJ Ferguson, deu entrada no hospital Brigham and Women’s Hospital em Boston em dezembro de 2021.

O DJ teve seu nome retirado da lista de transplantes, por não ter se vacinado contra o Coronavírus. Ferguson alegava não acreditar na vacina e também temia os efeitos colaterais.

DJ Ferguson é pai de dois filhos e tem um terceiro a caminho. A doença cardíaca que compromete sua saúde faz com que os pulmões e o coração se encham de sangue e fluido.

“É meio que contra seus princípios básicos. Ele não acredita nisso (…) Ele está a beira da morte”,

contou o pai

Hospital se explica

O Bringham and Women’s Hospital, emitiu uma nota dizendo que a vacinação e importante para que o paciente transplantado tenha uma melhor chance de recuperação, e sobreviva após o procedimento.

“E como muitos outros programas de transplante nos Estados Unidos – a vacina Covid-19 é uma das várias vacinas e comportamentos de estilo de vida necessários para candidatos a transplante no sistema Mass General Brigham, a fim de criar o melhor chance de sucesso da operação e também a sobrevida do paciente após o transplante.”

O dr. Arthur Caplan, chefe de Ética Médica da NYU Grossman School of Medicine, explicou que após qualquer transplante, o sistema imunológico do paciente fica “desligado”.

“A gripe pode te matar, um resfriado pode te matar, a Covid pode te matar. Os órgãos são escassos, não vamos distribuí-los para alguém que tem pouca chance de viver quando outros vacinados têm mais chances de sobreviver no pós-operatório”, salientou.

DJ Ferguson segue internado no hospital e a família ainda não tem certeza do que planeja fazer, já que nem transferido ele pode ser, por conta do estado debilitado de saúde em que se encontra.

  • Noticia com base no portal Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×