AutomobilismoGeralNASCAR

Joey Logano vence evento de exibição no Coliseu de Los Angeles

No final de uma experiência transformadora da NASCAR que conquistou a Cidade dos Anjos, Joey Logano segurou o vencedor da pole Kyle Busch para triunfar no Busch Light Clash de domingo no Coliseum.

Logano assumiu a liderança na volta 116, momentos antes de Kyle Larson retaliar Justin Haley por contato anterior que não foi de Haley. Larson dirigiu em direção ao fundo da pista, acertando o Chevrolet de Haley na barreira de concreto na reta principal.

Na estreia competitiva do carro de corrida Next Gen, Logano teve o controle da corrida para o reinício na volta 117 e manteve o primeiro lugar até o final, com Busch frustrado na perseguição na pista de um quarto de milha construída para o evento NASCAR Cup Series no icônico Los Angeles Memorial Coliseum como parte da ousada incursão da NASCAR no centro de LA.

NASCAR Cup Series - LA Coliseum
Foto: Meg Oliphant/Getty Images

“Não posso acreditar”, exultou Logano após a corrida. “Estamos aqui. O Coliseu de L.A. Conseguimos a vitória com o velho Shell/Pennzoil Mustang. Este é um evento incrível. Parabéns, NASCAR. Um passo tão grande em nossa indústria para poder fazer isso, fazer uma corrida incrível para todos.

“Estou ofegante. Eu estava tão animado com isso. Esta é uma grande vitória. Minha esposa vai ter um bebê amanhã, nosso terceiro, então um grande fim de semana para nós.”

Foi uma corrida de exibição – mas que exibição. O rapper Pitbull, coproprietário da Trackhouse Racing com Justin Marks, aqueceu a multidão com um set de 45 minutos antes da bandeira verde. No intervalo no meio do evento de 150 voltas, as equipes trocaram pneus e fizeram ajustes nos carros Next Gen enquanto o rapper Ice Cube enchia o Coliseu com música alta e rítmica.

Um panteão de estrelas do esporte californiano – entre eles o ex-tailback do Southern Cal Reggie Bush e o manager dos Dodgers, Dave Roberts – se juntou ao Hall da Fama da NASCAR Jeff Gordon gritou o comando para ligar os motores.

A corrida em si se cristalizou em uma batalha entre Logano, Busch, Larson e Austin Dillon. Após o reinício final, Larson ficou brevemente em segundo lugar de Busch, que recuperou o lugar com mais de 20 voltas restantes e atacou após Logano.

“Eu estava sendo perfeito fazendo tudo o que precisava fazer – manter os pneus embaixo de mim”, disse Busch, que liderou a corrida. “Quando cheguei perto, fiquei tipo, ‘OK, tenho que tentar mais e aproveitar uma oportunidade’, e apenas superaqueceu os pneus e os estraguei em três voltas e foi isso. Decepcionante, obviamente.

“Venha aqui e ganhe a pole, e lidere as voltas, corra na frente. O final fica verde e não é caótico e não podemos vencer, então é uma merda. Parabéns ao meu filho (Brexton Busch) – ele ganhou ontem. Que legal. Eu estava tentando igualá-lo. Ele está ganhando mais do que eu hoje em dia, então é melhor alguém enviar um contrato para ele.”

Dillon ultrapassou Larson para terminar em terceiro, e Erik Jones ficou em quarto depois de ultrapassar o atual campeão da Cup Series nas voltas finais. Larson ficou em quinto, enquanto William Byron, Cole Custer, Christopher Bell, AJ Allmendinger e Kevin Harvick completaram o top 10.

Busch conquistou a pole position para o evento principal com uma vitória direta na primeira bateria de domingo, com Daniel Suarez, Ricky Stenhouse Jr. e Ryan Blaney se juntando a ele no Clash como segundo, terceiro e quarto lugares.

Blaney usou seu para-choques para passar por Denny Hamlin para reivindicar a última vaga de transferência da bateria de abertura.

De fato, os pilotos que largaram primeiro venceram todas as quatro baterias, sem mais ninguém liderando uma volta. Tyler Reddick dominou a segunda bateria – vencendo por uma reta – enquanto Chase Briscoe, Dillon e Custer se classificaram atrás dele.

Dirigindo pela recém-criada equipe NASCAR Cup Series da Kaulig Racing, Haley venceu a terceira bateria, com Byron, Bell e Chase Elliott se juntando a ele no evento principal. Na quarta bateria, Logano e Larson correram 1-2, com o atual vencedor da Daytona 500 Michael McDowell e Jones assumindo as duas últimas posições.

Hamlin alcançou o Clash ao vencer o primeiro de dois Last Chance Qualifiers, com Harvick e Allmendinger terminando em segundo e terceiro para avançar.

Se o primeiro LCQ foi relativamente manso para os padrões de curta duração, o segundo foi um caos total. Depois de acertar tudo, menos na loteria, como disse o apresentador da FOX, Mike Joy, Ty Dillon levou a bandeira quadriculada, mas foi rebaixado para o fim do pelotão por queimar o reinício final com três das 50 voltas restantes.

Isso deu a Ryan Preece a vitória na corrida e as duas últimas vagas de transferência para Bubba Wallace e Harrison Burton, que foi rodado enquanto liderava na volta 47.

O segundo LCQ contou com sete bandeiras amarelas e viu os fortes concorrentes Kurt Busch e Alex Bowman eliminados quando seus carros sofreram danos irreparáveis.

A NASCAR Cup Series retornará à ação de 15 a 20 de fevereiro no Daytona International Speedway.

  • F1 Mania

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×