Atletico MGEsporteFutebolGeral

Atlético vence Fla em jogaço e ganha Supercopa

Foi de forma épica, do jeito a que o atleticano se acostumou. Em minoria nas arquibancadas, longe de casa, na 12ª cobrança de pênalti… Sim, na 12ª. Após um empate alucinante por 2 a 2 no tempo regulamentar, os alvinegros que foram à Arena Pantanal, em Cuiabá, vibraram de alegria com a defesa de Everson, o herói que, por pouco, não foi vilão.

O Atlético volta a campo no próximo sábado, às 16h30, contra o Pouso Alegre. A partida no Manduzão vale pela oitava rodada do Campeonato Mineiro. Já o Flamengo encara o Botafogo na quarta-feira, a partir das 19h, no Nilton Santos, pela oitava rodada do Carioca.

O Jogo

A etapa inicial caminhava para o fim quando uma falha individual tirou um dos zeros do marcador. Guilherme Arana arriscou finalização de fora da área, o goleiro Hugo (que ganhou disputa contra o experiente Diego Alves) bateu roupa e a bola sobrou para Nacho Fernández só empurrar para as redes: 1 a 0.

O gol do Atlético foi como um banho de água fria na empolgação rubro-negra, que, mesmo em maioria, silenciou nas arquibancadas da Arena Pantanal. No setor Sul Inferior, a minoria atleticana comemorou e se fez ouvida.

Mesmo sem alterações, o Flamengo voltou com outra postura para o segundo tempo. Com menos de um minuto, a primeira finalização. Aos 11 minutos, Arrascaeta arrancou pela esquerda e cruzou para Bruno Henrique, que cabeceou para defesa de Everson. No rebote, Gabigol só empurrou para as redes e empatou: 1 a 1.

Pouco tempo depois, a virada rubro-negra. Em sua primeira participação no jogo, Lázaro puxou contra-ataque e encontrou Bruno Henrique em profundidade pela direita. O atacante saiu frente a frente com Everson e só cavou na saída de Everson: 2 a 1 e explosão na flamenguista Arena Pantanal.

A partir daí, o Atlético iniciou uma forte pressão contra o gol de Hugo Souza. Por pouco, não empatou na sequência. Foi quando o técnico Antonio Mohamed acionou Ademir e Vargas. De volta após se recuperar de lesão, o chileno ajeitou a bola para Hulk, na área, conseguir o empate. O camisa 7 alvinegro dominou bem, fintou a marcação e bateu de direita mesmo, no ângulo, para deixar tudo igual: 2 a 2.

Pênaltis
Hulk cobrou e fez 1 a 0 para o Atlético
Lázaro cobrou para o Flamengo e empatou em 1 a 1
Nacho cobrou e fez 2 a 1 para o Atlético
Vitinho empatou para o Flamengo: 2 a 2
Ademir bateu e fez 3 a 2 para o Atlético
Diego cobrou e deixou tudo igual: 3 a 3
Guilherme Arana cobrou e fez 4 a 3 para o Atlético
David Luiz fez para o Flamengo e empatou em 4 a 4
Eduardo Vargas bateu no alto e fez 5 a 4 para o Atlético
Gabigol deixou tudo igual para o Flamengo: 5 a 5
Guga bateu a primeira cobrança alternada para defesa de Hugo Souza: 5 a 5
Willian Arão cobrou e Everson defendeu: 5 a 5
Jair bateu e fez 6 a 5 para o Atlético
Gomes empatou para o Flamengo: 6 a 6
Everson isolou: 6 a 6
Matheuzinho cobrou, e Everson defendeu
Nathan Silva bateu e colocou Atlético em vantagem por 7 a 6
Léo Pereira marcou para o Flamengo e igualou em 7 a 7
Mariano bateu e Hugo Souza defendeu: 7 a 7
Fabrício Bruno isolou, e o empate por 7 a 7 se manteve
Diego Godín isolou
Hugo Souza isolou
Hulk cobrou pela segunda vez e marcou: 8 a 7

Vitinho bateu, Everson defendeu, e Atlético foi campeão!

A Chegada a BH

O elenco do Atlético foi recepcionado por dezenas de torcedores no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, no início da madrugada desta segunda-feira (21).

Galo conquistou o título inédito na Arena Pantanal, em Cuiabá, ao derrotar o Flamengo por 8 a 7 nos pênaltis, após empate 2 a 2 no tempo normal.

 

A delegação atleticana desembarcou depois de 1h20 em Confins. Já na parte externa do aeroporto, alguns jogadores foram chamados pelos torcedores e tiraram fotos. Foi o caso principalmente do atacante Hulk, que deixou o local em seu carro particular (veja o vídeo acima).

 

Outros jogadores deixaram o aeroporto no ônibus do Atlético.

 

O elenco atleticano ganhou folga nesta segunda-feira (21) e só retornará às atividades na Cidade do Galo na terça, às 9h30. O próximo compromisso será no sábado (26), às 16h30, contra o Pouso Alegre, no Manduzão, em Pouso Alegre. A partida valerá pela oitava rodada do Campeonato Mineiro.

 

Decisivo, Everson vê Galo x Flamengo em ‘pedestal diferente’ na carreira

foto: João Vítor Marques/EM/D.A Press

Decisivo para o título da Supercopa do Brasil nesse domingo (20), com três penalidades defendidas, o goleiro Everson vê o confronto entre Atlético e Flamengo num ‘pedestal diferente’ na carreira. O arqueiro equiparou a partida com o duelo de volta contra o Boca Juniors nas oitavas de final da Copa Libertadores da América de 2021, quando o Galo também avançou nos pênaltis.

Naquela ocasião, Everson já havia sido decisivo defendendo duas cobranças de pênaltis da equipe argentina e convertendo o pênalti final do Atlético na disputa. O goleiro vê as duas atuações como as ‘mais especiais’ com a camisa alvinegra.

 

“Colocamos esse num pedestal diferente também. Contra o Flamengo, uma final, valendo taça… por tudo que se configurou. Três penalidades onde a gente poderia perder esse título. Com certeza, esse está junto com o jogo do Boca, como os mais especiais com a camisa do Atlético”, afirmou Everson ao Superesportes.

Curiosamente, nas duas ocasiões, Everson foi ‘do inferno ao céu’. Contra o Boca, o goleiro falhou ainda no tempo regulamentar, em lance que acabou ocasionando gol do time argentino. No entanto, o tento foi invalidado pelo VAR.

Já neste domingo, diante do Flamengo, o goleiro desperdiçou uma das cobranças de pênalti do Galo na disputa. No entanto, se redimiu com defesas cruciais para o novo título do Galo.

Este foi o quarto título de Everson com a camisa do Atlético. Ídolo do clube, o arqueiro já conquistou um Campeonato Mineiro, uma Copa do Brasil, um Campeonato Brasileiro e, agora, a Supercopa do Brasil pelo Galo.

mg.superesportes

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×