GeralItabirito

Itabirito: mulher atingida pela enchente é vítima de fraude no pagamento do auxílio de R$ 10 mil

Uma mulher foi vítima de fraude no sistema de pagamento do benefício de R$10 mil, valor pago pela Prefeitura de Itabirito aos atingidos pelas chuvas em janeiro de 2022.

De acordo com Fernanda Santos Nogueira, quando aconteceu a enchente em Itabirito, ela residia na rua Lígia Vidal, no bairro São Geraldo. A rua ficou tomada por sujeira e teve diversos pontos de destruição. Fernanda perdeu vários bens móveis com a tragédia e a casa ficou coberta de lama.

A atingida havia se mudado para a casa – que era alugada – no dia 22 de dezembro de 2021. Ainda não tinha dado tempo de fazer o contrato com o locatário e mudar documentos e contas para seu nome.

Após o impacto das fortes chuvas na casa em que residia, Fernanda teve que ficar abrigada em um espaço comunitário no bairro Nossa Senhora de Fátima e acabou pedindo demissão de seu emprego para conseguir receber uma quantia suficiente para alugar outro imóvel. Agora, ela mora em uma casa alugada, também localizada no bairro Nossa Senhora de Fátima.

Quando a Prefeitura de Itabirito anunciou que destinaria um auxílio de R$ 10 mil aos moradores da cidade que foram atingidos pelas chuvas do início de janeiro, Fernanda viu uma possibilidade de recomeçar sua vida após a tragédia. Ela, que teve perdas materiais por conta da lama da enchente, poderia, com o valor do auxílio, adquirir novos móveis, eletrodomésticos e eletrônicos, suprindo os diversos prejuízos que teve.

Entretanto, o último inquilino do imóvel em que Fernanda morava de aluguel, no São Geraldo, fotografou os bens móveis destruídos na casa que foi impactada pela enchente e entrou com pedido de recebimento do auxílio. O homem alegou à Fernanda que ela abandonou a casa e, por isso, ele se sentiu no direito de requerer o benefício.

A mulher não abandonou o imóvel. Ela teve que se alojar às pressas em outro local para preservar sua vida e acabou se tornando vítima de uma fraude, pois o homem conseguiu ser aprovado para recebimento do auxílio e teve seu nome publicado na 8ª lista de beneficiários do Auxílio Pessoa Física, divulgada em março.

“Eu tenho fotos lá dentro da casa, antes da enchente. Tenho provas de que era eu quem morava lá dentro e não deu em nada. Liberaram o benefício para outra pessoa, mesmo eu tendo provas. Eu tenho testemunhas que moram lá na rua Lígia Vidal e que foram comigo até a delegacia para certificar que eu morava na casa, mas nada disso adiantou”, disse a vítima.

Fernanda registrou Boletim de Ocorrência (BO) contra o antigo inquilino do imóvel e abriu um protocolo na Prefeitura de Itabirito, no dia 30 de março, solicitando alguma medida que pudesse resolver a situação. Ela conta que, em contato com a Secretaria Municipal de Assistência Social, foi informada de que não poderia receber o aluguel social, outro benefício concedido pela prefeitura, porque não era a proprietária do imóvel.

Ao Sou Notícia, Rose da Saúde, secretária municipal de Assistência Social, falou que Fernanda já foi avisada de que vai receber o benefício, provavelmente na 15ª lista de beneficiários. “O processo dela deve sair semana que vem. Saiu um lote ontem, e com certeza sairá outro segunda ou terça-feira”, disse a secretária. “Teve um processo de devolução aos cofres públicos e início do processo da mesma”, completou Rose.

Atualização: a vítima da fraude havia dito ao Sou Notícia que o proprietário do imóvel recebeu o auxílio em seu lugar, mas ela se enganou. Na verdade, o homem responsável pela fraude era o antigo inquilino do imóvel. A informação foi enviada à nossa equipe pelo irmão da verdadeira proprietária do imóvel, que sequer mora em Itabirito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×