GeralItabirito

Itabirito: família quase morre após queima de carvão para se aquecer do frio

A chegada da onda de frio em Itabirito fez as temperaturas despencarem, com mínima que chegou a 3ºC na última quinta-feira (19). Nessa época do ano, uma prática muito perigosa ainda é usada por muitas pessoas: queimar carvão ou álcool dentro de casa, numa tentativa de aquecer o ambiente. E foi exatamente por causa disso que uma família teve de ser hospitalizada nesta sexta-feira (20).

Evaldo procurou o Sou Notícia para relatar o caso e fazer o alerta. Ele, sua esposa e seu filho precisaram de atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itabirito, após acenderem carvão dentro de casa, para afugentar o frio.

“Ontem, eu, minha esposa e meu filho quase morremos asfixiados, por um gás chamado CO2, pois acendemos uma vasilha dentro de casa, para aquecer do frio, e fomos parar na UPA por causa disso. Mas, graças a Deus, está tudo bem. Meu filho teve alta agora, pois ficou em observação”, afirmou Evaldo.

Acontece que a prática é muito arriscada, pois a queima de carvão, lenha, madeira, ou álcool desprende monóxido de carbono, um gás sem cheiro e sem cor, que pode envenenar tanto pessoas, quanto animais, causando sérias consequências e até mesmo levando à morte, como aconteceu com um casal que faleceu em Nova Ponte, em Minas Gerais, após acender uma churrasqueira dentro do quarto, na última quinta-feira.

Já em Uberlândia, dois irmãos sobreviveram, nessa sexta-feira (20), após improvisarem uma panela e acenderem carvão dentro do recipiente, mesma prática tomada pela família de Itabirito.

Entenda os riscos

A família itabiritense teve sorte de não desenvolver sérias complicações, pelo contato com o gás intoxicante. Essa não é a mesma realidade de muitas outras pessoas, já que não é incomum ter relatos de mortes causadas por intoxicação por monóxido de carbono.

Combustíveis à base de carbono, como carvão e madeira, só devem ser utilizados em locais ventilados. O perigo é muito claro, mas muitas pessoas não sabem que pode apresentar risco mesmo quando não está mais queimando.

A intoxicação por monóxido de carbono pode ser letal. À medida que o carvão queima, a concentração de monóxido de carbono (CO) no ar aumenta. Graças à sua toxicidade, concentrações em um espaço confinado são fatais se inaladas por um longo período de tempo, já que compromete o transporte de oxigênio dentro do organismo. Isso resulta em morte por hipóxia (falta de oxigênio).

Portanto, em hipótese alguma, acenda churrasqueiras ou qualquer outro utensílio que gere chamas alimentadas por carvão, madeira ou papel, em lugares fechados. Eles liberaram monóxido de carbono e sua inalação pode ser fatal, além de imperceptível. Além disso, velas, lampiões ou qualquer tipo de fogo podem também causar um incêndio.

É importante ressaltar que lareiras e fogões a lenha devem ter instalações adequadas para canalizar a fumaça emitida. Mesmo assim, pequenas fagulhas podem sair da madeira que alimenta o fogo atingir tapetes, cortinas ou panos, provocando um incêndio. Então, é imprescindível tomar cuidado com essas instalações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×