GeralItabiritoMariana

Itabirito: pacientes de hemodiálise relatam problemas no transporte para Mariana

Após a recente reclamação sobre a alimentação inadequada servida em Mariana, pacientes de hemodiálise procuraram o Sou Notícia para relatar outro problema: más condições dos veículos que fazem o transporte das pessoas que estão na luta contra a insuficiência renal.

Os pacientes de Itabirito que fazem tratamento no Hospital Monsenhor Horta – Sociedade Beneficente São Camilo (SBSC), em Mariana, afirmam que os problemas com os veículos da Prefeitura de Itabirito são recorrentes.

“Esses carros da prefeitura vivem quebrados. Outro dia, nós viemos em um carro quebrado. Ficamos esperando o carro de 10h30 até 12h30, esperando o carro ir em Itabirito e voltar pra poder nos levar. Hoje, quando chegou no meio do caminho, o motorista falou que o carro não subia morro. Com muito custo, chegou com nós no hospital”, afirma Simone, paciente que faz hemodiálise em Mariana

De acordo com Simone, os veículos que levam os pacientes para Mariana vivem apresentando problemas. “É muito difícil. Ficamos em uma situação complicada; os carros não andam. Quando não está chovendo dentro do carro, está pegando fogo até no meio do caminho com a gente. O carro vive estragado. Tem muita coisa que precisa ser esclarecida”, alega.

Além disso, segundo reclamação de Simone, há um veículo da Prefeitura de Itabirito quebrado no Terminal Rodoviário de Mariana, desde essa terça-feira (24). “Tem um ônibus da prefeitura parado na rodoviária desde ontem, porque pifou e aqui ficou. Ele veio trazer o povo que faz hemodiálise. Esses veículos vivem apresentando problemas. Só andam com a misericórdia de Deus”, alerta a paciente. Procurada por nossa equipe, a Secretaria Municipal de Transportes não atendeu as ligações. Portanto, não é possível afirmar se o veículo é, de fato, da Prefeitura de Itabirito.

Alimentação inadequada

De acordo com uma paciente de Itabirito que faz tratamento em Mariana, desde quando iniciou-se a pandemia de Covid-19, o almoço servido aos pacientes foi cortado, sendo substituído pela entrega de lanches compostos por pão de forma e cenoura, alimentação insuficiente e inadequada para quem tem insuficiência renal, já que quem faz hemodiálise precisa seguir uma dieta nutricional.

“Queremos saber se a responsabilidade é do prefeito de Mariana, em servir uma comida adequada para nós, porque nós não podemos sair daqui (do hospital) pra poder ir lá brigar com ele na prefeitura, para ele nos dar comida. Já que não está fornecendo a comida, para onde está indo a verba? Tem mais de 2 anos que não estão nos dando comida”, questiona Simone.

Lanche servido aos pacientes da hemodiálise. Foto enviada ao Sou Notícia.

“Não tem cozinha; não há um lugar para nós tomarmos café, daí fica todo mundo misturado do lado de fora do hospital”, afirma Simone.

A responsabilidade da alimentação que deveria ser servida aos pacientes da hemodiálise é da Prefeitura de Mariana, sendo que uma verba do estado é destinada para esse lanche. Ao contrário disso, os pacientes que fazem tratamento no Hospital Monsenhor Horta – SBSC, não recebem alimentação, além do singelo pão com cenoura, já que, segundo os pacientes, há uma desculpa de que o hospital precisa de reforma no refeitório.

Sou Notícia tentou entrar em contato com o Hospital Monsenhor Horta – SBSC, mas não obteve retorno até o momento de publicação desta reportagem.

Promessa de hemodiálise em Itabirito

Ao vereador Anderson Martins (MDB), o prefeito de Itabirito, Orlando Caldeira (Cidadania), informou que a Prefeitura de Itabirito está fazendo um esforço para que a hemodiálise possa ser feita na cidade. “Até ficar pronto e até decidir aonde vai ser a hemodiálise em Itabirito, algo precisa ser feito”, declarou Simone.

“Eu fiquei sabendo, durante uma conversa com o prefeito, de que ele está trazendo a hemodiálise para a cidade de Itabirito; que há um processo; que a prefeitura está trabalhando pra isso; e que muito em breve, além da UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), nós também vamos trazer para Itabirito a hemodiálise. Eu fiquei muito feliz, porque já entrei nesta Casa com várias indicações concernentes a isso e nós queremos que quem mora em Itabirito, tenha dignidade em Ouro Preto, Mariana, porque pagamos para isso. Ninguém está lá de graça”, disse o vereador Anderson Martins, na reunião da Câmara, realizada na segunda-feira (23).

O vereador Arnaldo Pereira dos Santos (MDB), presidente da Câmara, também falou sobre o assunto. “Se conseguir voltar com a hemodiálise pra cá, Nossa Senhora. Pessoas que estão num sofrimento danado. O sentimento de todos dessa casa é para diminuir o sofrimento dessas pessoas. Se consegue fazer aqui, então, é uma coisa boa pra caramba”, disse o presidente da Câmara.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×