GeralItabirito

Veja o que foi destaque na reunião da Câmara Municipal de Itabirito

Diversos assuntos foram discutidos na última reunião da Câmara Municipal de Itabirito, realizada na noite dessa segunda-feira (20). Veja abaixo o que foi destaque:

Animais abandonados

O vereador Dr. Edson (Republicanos) falou sobre a atual situação do Canil Municipal de Itabirito. “Após minha visita no Canil, tenho recebido no gabinete várias reclamações e eu quero até solicitar aqui à liderança do governo que traga alguns esclarecimentos e que informe se a prefeitura vai fazer investimento no canil, pra fazer a ampliação da estrutura naquele local. Tivemos, em 2017, época em que o Ministério Público propós um TAC com a gestão Alex, para que fizesse a ampliação do canil. Depois dessas intervenções, não foi feito nada significativo. Hoje, o espaço precisa de reforma; o espaço está bem deteriorado e tem 250 animais que estão sendo acolhidos no Canil. Só que nós temos hoje uma demanda muito grande de animais abandonados, na rua, animais que precisam ser acolhidos e essa minha visita ao Canil despertou, junto à comunidade, essa pauta importante de acolher esses animais desabrigados”, disse.

O vereador Paulinho (Republicanos) também falou sobre os animais de rua. “Nas redes sociais, vemos várias pessoas reclamando. Quando eu estive no Centro de Controle Animal, no ano passado, conversando com a coordenadora, eu falei que a gente tem um orçamento impositivo e, quem sabe, no ano que vem, a gente consegue destinar alguma coisa aqui pro Canil, pra ver o que pode ser feito para melhorar. Eu até falei pra ela se ampliar o local seria o ideal. Ela falou que a população tem que ser melhor conscientizada sobre isso, porque a população pega a criação, não consegue criar e depois abandona. Bairro Vila da Serra: vários animais abandonados. São Gonçalo do Bação, essas áreas mais afastadas. Eles vão lá, abandonam, e a gente fica aqui culpando o Centro de Controle Animal. O espaço lá já não está bom; a prefeitura tem que melhroar esse espaço”, afirmou.

O vereador Igor Nego Liso (PTB) também falou sobre o assunto. “Quando a pessoa vai adotar um cachorro, filhote ou não, ela tem um carinho e amor. Mas, quando esse animal começa a fazer algo que foge do previsto, o primeiro passo é o abandono desse animal. E esquece que é um ser vivo; que ele precisa se alimentar e ter cuidados. Está demais. Vamos ter consciência”, argumentou.

Já o vereador Anderson Martins (MDB). “Eu tenho um carinho muito grande pelos animais. Mas eu não posso ser hipócrita e ficar aqui sendo demagogo, dizendo que o cavalo, que a vaca é mais importante que um animal racional, que somos nós, ser humanos. Foi destacado aqui, nesta Casa de Leis, que na Praça do São Sebastião, que um homem recebeu álcool no corpo e depois meteram fogo nele. Eu não vi ninguém se comovendo na internet por causa disso. Estou correndo um grande risco de ser hostilizado pelo que eu estou falando. Não vamos trocar os valores da nossa nação brasileira. Aconteceu agora neste final de semana uma tragédia. Um cachorro mordeu a cabeça de uma criança de cinco anos no Morada Viva. Se aquela criança tivesse morrido? O que aconteceria com a mãe daquela criança? Aquele cachorro é indefeso. Ele se sentiu ameaçado pela criança e seu mecanismo de defesa foi morder a criança. Agora, eu quero defender aqui, nesta Casa de Leis, políticas públicas e situações para que possamos dar dignidade para o animal e para a própria população que tem animais dentro de casa; que pega o animal pequeno e depois abandona nos loteamentos, nas ruas de Itabirito”, afirmou o vereador.

“Educação se dá é na escola. Isso se ensina lá no primário. É na creche que começamos a ensinar nossos filhos a desenhar um cachorro, uma vaca. Agora, se não tem educação, o que nós vamos ter é pessoas agressivas com o meio ambiente e com os animais, que são indefesos. Aí aparece gente na internet, semideuses, idolatrando o que não é pra idolatrar e sim pra amar. Nós temos que amar os animais sim; proteger os animais sim. Eu recebi um telefonema de uma cuidadora de animais, que é a dona Isabel. Eu peguei meu carro, fui até os predinhos. Peguei o cachorro agonizando. Chorei dentro do carro. Coloquei luvas e fiz massagem naquele animalzinho. Levei ele lá para o Canil. Tentamos fazer de tudo para salvar aquele cachorrinho, mas nós não tivemos êxito. O cachorro morreu com hemorragia. Eu não posso aqui economizar adjetivos para um monstro desse”, ressaltou Anderson.

Segurança Pública

Dr. Edson falou sobre a necessidade de haver uma ação integrada para combater furtos na cidade. “Quero destacar a questão da segurança pública e a necessidade de uma ação conjunta, integrada, entre a Polícia Militar, Polícia Civil e a Guarda Municipal. Quero pedir aqui, à Secretaria de Segurança do município, que encabece essa ação conjunta; que tome essa iniciativa; que seja propositiva e que veja a fazer essa discussão sobre as ações integradas, para combater, principalmente, os furtos que têm acontecido na nossa Itabirito”, destacou.

Já o vereador Fabinho Fonseca (Avante) comentou sobre uma recente fala do secretário de Segurança e Trânsito, Antônio de Pádua Pataro Dutra Júnior, sobre uma suposta redução da criminalidade em Itabirito. “Com todo o respeito, secretário, mas será que eu estou morando em outra cidade. Porque não é o que eu e a população estamos vendo. Toda semana ou todo dia, você abre a rede social e tem pessoas reclamando de furto. Até cachorro estão roubando. Idosa sendo assaltada. Então, essa queda na criminalidade, secretário, eu não concordo, a não ser que você me mostre esses números”, disse.

Ja o vereador Anderson Martins destacou o trabalho sério que a Polícia Civil tem desenvolvido em Itabirito. “Eu ouvi um vereador falar aqui que o índice de criminalidade está muito alto em Itabirito. Nós sabemos que existe hoje repasse de informação. A Polícia Civil repassa informações para as devidas secretarias responsáveis. Eu quero destacar isso aqui. O delegado Dr. Frederico está indo embora. Ele ficou aqui dois anos. O que esse homem fez aqui na cidade…eu quero relembrar aquelas mortes que aconteciam duas ou três por semana. Eu cobri aquela chacina dos macacos que morreram seis num dia só. Isso ninguém falou. Nós temos visto crimes de pequeno potencial, que a Guarda Municipal está junto, esses roubos que têm acontecido em loteamento; em fazenda. Agora, quando for falar da Polícia Civil, lave a boca. Não fica escultando conversa fiada e menosprezar o que está dando certo, porque as vezes as pessoas não têm consciência do que falam. Um abraço para o nosso querido delegado Dr. Frederico, que está junto com o Arnaldo, que é o presidente desta Casa, colocando o CAC para funcionar”, enfatizou.

Serventes dando aula

Renê Butekus (PSD) falou sobre uma denúncia que recebeu em relação à Secretaria de Educação. “Quero falar aqui sobre uma denúncia que eu recebi da Secretaria de Educação, aonde tem uma servente substituindo uma professora. E quando foi hoje, eu fui procurar saber se estava acontecendo, agora tem é quatro serventes, com todo o respeito e carinho às serventes que fazem um trabalho especial, espetacular, que trabalham de forma grandiosa para as nossas crianças nas escolas, que zelam e cuidam do nosso patrimônio público. As professoras: uma afastada por covid, as outras ninguém sabe onde estão e colocam as serventes, com o maior respeito do mundo, para substituir as professoras. Inclusive, uma dessas serventes podia até entrar na Justiça, porque isso é desvio de função. Ela é preparada, qualificada tecnicamente para fazer o papel dela. Ela não é preparada e qualificada para dar aula. Será que os pais dos alunos estão sabendo que isso está acontecendo no Manoel Salvador de Oliveira?”, pontuou.

Pessoas em situação de rua

O vereador Fabinho Fonseca falou sobre a situaçõ das pessoas em situação de rua. “Quando que a prefeitura vai agir em relação a essa situação dos moradores de rua? Itabirito nunca teve tanto morador de rua igual está tendo agora. Então, precisa da atenção da secretaria responsável, para estar acompanhando de perto essas pessoas para que elas possam ser assistidas, acompanhadas e direcionadas para um caminho certo, e para que a Praça São Sebastião possa se tornar um ambiente agradável pra ser frequentado. Em frente a uma escola. Ali tem acontecido várias coisas que não é o certo pra um ambiente como a praça, e principalmente em frente a uma escola. Então precisa da atenção da secretaria responsável o mais rápido possível. Isso já foi falado aqui várias e várias vezes”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×