GeralItabirito

Reunião da Câmara de Itabirito é marcada por divergência sobre revogação de decreto

Na reunião da Câmara Municipal de Itabirito realizada nessa segunda-feira (01), o vereador Anderson Martins (MDB) saiu em defesa da Prefeitura de Itabirito, após o Executivo revogar um decreto que compraria um terreno, no valor de R$ 10 milhões. A revogação gerou polêmica na reunião, já que o vereador Renê Butekus (PSD) criticou a decisão do prefeito de Itabirito, Orlando Caldeira (Cidadania).

“Eu gostaria de chamar atenção da população e destacar a importância do Poder Legislativo na democracia. Aqui, estou falando da Câmara e de seus edis; os 13 vereadores eleitos pelo povo; o papel deles de fiscalizar as ações da Prefeitura de Itabirito e de todas as Secretarias envolvidas no Poder Executivo. De um lado, existe o Legislativo, que está aqui elaborando os projetos, fiscalizando as ações, votando requerimentos, colocando indicações. Do outro lado da linha, existe a prefeitura municipal. Ela executa tais ações. Eu me admiro muito de, as vezes, ver o show de oratória e de pirotecnia por parte de alguns vereadores que aqui estão para fiscalizar a prefeitura”, iniciou o vereador Anderson Martins

O vereador questionou qual o real propósito em repudiar a revogação do decreto. “Que problema tem a prefeitura revogar um decreto? Que problema tem o prefeito, depois de fazer uma análise, junto com sua equipe, revogar um decreto? Aonde queremos chegar: no caos ou no desenvolvimento de um projeto futuro para Itabirito?”, defendeu.

“Eu levantei informações sobre essa compra que a prefeitura iria executar via decreto. Já foi falado aqui nesta Casa que é algo em torno de R$ 10 milhões. A prefeitura, agora, ela revoga esse decreto. O que tem de caos por trás disso tudo? Eu gostaria de destacar isso, porque meu papel aqui, juntamente com os demais companheiros, é fazer com que o nosso município se desenvolva; que o nosso município cresça e esteja em boas mãos. Eu fico impressionado, porque se tivesse executado a compra, o que seria pronunciado nesta tribuna?”, indagou Anderson.

Eu acho que o prefeito está tendo total respeito com os vereadores de oposição e com o mandato dele. Agora, se o prefeito não revoga, ele não vale nada. Se o prefeito revoga, ele não presta. O que está acontecendo com a nossa democracia; com esta Casa? Já me falaram que esta Casa de Leis tem sido uma das piores. Eu quero não acreditar nisso. Eu quero dizer que ela é uma das melhores. […] Eu parabenizo a revogação do decreto, porque foi constatado que tem impedimento técnico e jurídico. Então se foi falado, analisado e revogado, palmas para o prefeito e para as Secretarias envolvidas nisso.

O vereador falou também sobre a iniciativa do presidente da Câmara, vereador Arnaldo Pereira dos Santos (MDB), de oferecer tradução simultânea em Língua Brasileira de Sinais (Libras), língua usada pelas pessoas surdas, durante as transmissões no YouTube das reuniões ordinárias. A reunião dessa segunda-feira marcou o início da tradução em Libras, serviço feito pelas especialistas Hannah Senra e Juanita Vitorino.

“Gostaria de parabenizar vossa excelência pela iniciativa de executar esse projeto de inclusão nesta Casa; de executar essa transmissão via Libras. Quero parabenizar essas mulheres abençoadas que estão fazendo esse trabalho brilhante para a comunidade surda. Isso é de muita importância”, disse Anderson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
×